Navegando em Tag

vida em família

Pedaços+Momentos

> Pedacos + Momentos: Mesma coisa de sempre só que diferente

04/04/2017

Nunca escondi de vocês como a nossa vida é normal e muitas das vezes não tem nada de diferente ou “demais”. Seguimos com o que temos e fazendo o que precisa ser feito no dia, com algumas firulas de felicidade e doses de amor – já sabem quem são os maiores responsáveis por isso, né? Então. Apesar de valorizarmos muito esses momentos juntos, ultimamente até que temos muitas coisas diferentes para contar.

Uma delas é que finalmente a pós deste ser barbudo está chegando ao fim e agora é fase dele ler, ler, ler e ler. Depois será escrever, escrever, escrever e escrever. É engraçado pensar que ele me conheceu um pouco depois que sai do colégio, trabalhando em uma empresa de social, me viu entrar na faculdade, me formar e transformar de área. E eu acompanhei muitos dos processos dele. Finalmente essa fase está chegando ao fim.


Aqui em SP está um clima delícia. Finalmente chegou a minha estação preferida para bebericar um bom vinho. Nesse link do vinho site, você pode conferir uma lista com diferentes opções de vinhos bons e baratos. Acho muito bacana para testar novos sabores.

Quem me segue nos instagram viu que fui com a família toda para a Villa Ártemis, um cantinho especial com pessoas lindas de coração. Sempre renovo minha fé e esperança no mundo quando vamos pra lá.


Também compramos uma go pro para nós, para servir como mais uma opção de câmera nos nossos vlogs. Espero que gostem do resultado que faremos com carinho 🙂

Estamos ajustando os últimos detalhes da viagem. Finalmente! Eu AMO planejar roteiros de viagem, Fabinho já é mais de boa e do tipo aventureiro, haha. Então, eu piro montando mapas, opções e tudo o mais. Não vejo a hora de compartilhar tudo com vocês 🙂

Agora estamos na última semana para a maratona. É engraçado pensar que ficamos tanto tempo nos preparando para isso. É engraçado não, é emocionante. Foi um processo “doloroso” e cansativo, mas que tenho certeza que precisei passar por algum motivo, não só pelo fator esportivo. Semana que vem contarei finalmente para vocês do dia!

Antigamente eu acharia ruim as coisas serem rotineiras, hoje eu acho normal. Aprendemos a enxergar graça em cada detalhe do dia que pode deixar tudo mais especial, apenas por estarmos vivos e com pessoas de bom coração.

Agradeço.

Fotografia

> Pedaços + Momentos: Contagem Regressiva

20/12/2016

O calendário de 2017 já está pendurado na casa, no escritório e na geladeira. Já quase mudamos de ano, só ele quem ainda não saiu de nós.

É engraçada a sensação de virar um ciclo. Por mais que a gente decida viver um dia por vez, um ano novo a cada dia, um calendário ainda nos prende. Tiramos esta semana para backupear arquivos, organizar documentos, pagar, arquivar, organizar, limpar, separar, doar. Muitos verbos, muitas ações para quatro dias não inteiros. Mas, toda essa vontade de renovar, faz com que o tempo renda e passe tão rápido. Engraçado.

Todo dia, olhamos um para o outro e falamos: faltam 10 dias…9 dias…8 dias… Não vemos a hora de viajar e matar a saudade da família do Fabinho. Este ano ele manteve a promessa de conseguir ir mais vezes. Eu, já nem tanto. Mal posso esperar para ver todo aquele verde, rir de piadas bobas no quintal e não fazer nada. Já por outro lado…

Lucy e Ringo desta vez não irão com a gente. Ficarão com os meus pais aqui em SP. Apesar deles amarem e se sentirem tão em casa por lá quanto aqui, com a gente parece que falta um pedacinho. Esta semana eles estão todas as noites com a gente no quarto, bate uma saudade antecipada. Eles, não fazem a menor ideia. Andam pela casa preguiçosos também, não sei se cansaram de 2016, se é a chuva, a falta do sol ou a bolinha que esta embaixo da pia e Lucy não viu.

Todo mundo querendo e precisando de um tempinho a sós, pra nada, se perder, para encontrar algum tudo.

VIDA

> Melhor Pessoa: Casca grossa e Alma leve

24/08/2015

As últimas semanas para mim estão sendo uma bagunça. E vocês sabem como eu amo tudo em seu lugar, em todos os aspectos. Ringo resolveu um belo dia acordar e comer a roseira que estava aqui a 60 anos, segundo a ex- dona da casa. Essa foi a inauguração de 15 dias inferninhos, que vou poupá- los os detalhes. O que eu humana fiz? Reclamei feito uma ogra.
Minha pele estava descascando, meu nariz ruim todas as noites e o trabalho frenético há meses todos os dias da semana. Como tudo atualmente se resume em “você está estressado(a)”, não era isso que eu precisava ouvir. Afinal, a minha mente não estava exausta, eu nunca estive tão realizada, mas eu estava um C-A-C-O. Que raios tinha eu?
Aí, fui conversar com um profissional no assunto: meu pai. Meu pai trabalhou a vida inteira feito um doido, e não é da nossa sortuda geração que trabalha com o que gosta, e eu nunca o ouvi por sequer um dia resmungar. Ou melhor, nunca o ouvi reclamar da vida. Ele dizia como se não tivesse problemas, contas para pagar, ou levado tanta porrada da bendita:
– Estresse? Essa palavra não existia no meu tempo. Quanto mais a vida nos batia, mais a gente via que aguentava e revidava nela.

Ser feliz cansa. Viver cansa.
E um belo dia mesmo cansados, a gente tem que sentar e agradecer.
Compensa.

É amigos, a vida é uma verdadeira zona. E eu vou ter que aprender a não tentar organizá- la o tempo inteiro. Tudo o que a gente faz é o que temos que fazer, com a vida que escolhemos. E a vida segue fazendo o seu papel: nos forjando. Uma alma leve e a casca grossa, como a do meu pai, é o que desejo para todos.

Tá foda de dizer, mas, obrigada vida. Pode mandar mais – acho que a gente aguenta!

“A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.” Regina Brett

AdoCão

> O que aprendi com vocês, cachorros

16/08/2015

 

Lucy e Ringo,

Talvez vocês nem imaginem o quanto. Mas, vocês nos fazem muito, muito bem.
Com vocês aprendi que a vida é uma só, a cada dia, a cada instante. Como se quiser dividir. Aprendi que é preciso enxergar o agora, sem medo ou receio. Apenas com a coragem no coração. Vocês, tem peito pra viver. Afinal, foi com vocês que aprendi a sempre esperar o melhor e a enxergar a bondade nos olhos das pessoas. Amigos, familiares ou no bom dia de desconhecidos na fila do pão. E até mesmo quando algumas nos machucarem o coração: não deixa a bondade escapar. Vocês, são especialistas nisso. Não se importam com aparência ou comida importada. Vocês nasceram para provar que o amor, na sua essência, ainda é a arma mais poderosa que podemos carregar.
Foi com vocês que notei como eu julgava as coisas antes de conhecer ou provar – mesmo achando que não. E como um dia simples pode ser divertido só por correr na grama ou jogar uma bolinha pra lá e pra cá. Vocês são prós na arte de confiar. Quando não conseguiam subir uma escada ou se sentiam incapazes de descer do sofá, não existia frescura. “Cadê aquele humano, meu amigo, que pode me ajudar?”, simples. Com vocês percebi como precisamos das pessoas ao nosso redor e muitas vezes fingimos que não. Por isso, com vocês nós nos sentimos úteis, as pessoas mais importantes do mundo. E eu espero que a gente consegui fazer, vocês se sentirem dessa forma também. Afinal, foi com vocês que enxerguei como nos importamos com coisas que não deveríamos esquentar: um xixi no colchão ou um tapete rasgado. Tudo isso passa, vivemos sem. E vocês já nascem sabendo. Vocês amam como manda o amor amar: incondicionalmente, sem porquês ou mais motivos.

Vocês não recusam uma farra ou festejar para uma visita. Tudo, todo dia, qualquer coisa, é a melhor coisa da vida. Não é que é mesmo? Estamos vivos.

Com vocês, aprendi tanto sobre tudo, do mundo, de mim e sem ouvir nenhuma palavra. Apenas, na cumplicidade de um olhar. Quando dizem que vocês são anjos, não é no sentido figurado – só pode ser muita verdade.