Navegando em Tag

cachorro

AdoCão

> Tudo o que eu queria dizer para o meu cachorro

12/07/2016

Lucy e Ringo,

Talvez vocês não façam ideia, mas vocês me fazem muito bem. Eu falo isso o tempo inteiro para vocês, mesmo sem me questionar se me entendem: sei que entendem. Também sei que nós não somos dos mais ricos para dar da melhor marca de ração, o melhor brinquedo, a roupa mais fofa ou a maior cama. Sorte a minha que ao conviver com vocês, pude perceber que vocês valorizam o que importa. Por isso, nunca neguei o meu tempo para vocês.

Vocês devem pensar que aqui em casa somos loucos, correndo para lá e para cá. Trabalhando e querendo resolver a vida da melhor maneira possível, enquanto vocês querem, por que querem brincar. Vocês são a alma da casa, o que me faz sempre lembrar que o jeito de criança, nunca pode se apagar.

Vou aproveitar pra mencionar que às vezes a gente senta no chão, apenas por sentar e, pra vocês, é o melhor evento do dia. Hora de rolar e lamber. Quando estamos no sofá e eu levanto para pegar um copo de água, eu aviso, “não levanta, eu só vou até ali”, e vocês me seguem. É sério, não precisa desacomodar. Melhor ainda é entrar e sair de casa por 1 segundo e a recepção ser a mesma de 1 ano fora. De saudade, vocês entendem bem. Isso, não precisa mudar.

Saibam que quando saio para passear e vocês ficam em casa, não costuma ser fácil. Imagino vocês sentados como meus amigos. Imagino o tempo todo o que nos diriam, se pudessem falar. Principalmente nos momentos difíceis, alguns conselhos tenho certeza que cairiam bem, mas o olhar consola como ninguém. Admiro a pureza de não precisar de palavras para demonstrar o amor de forma incondicional. A verdade é que eu precisava da simplicidade de vocês. Da maneira feliz de ver a vida, apenas por ser vivida.

Algumas vezes eu fico perdida. É pata pra desviar, rabo batendo na canela, 21kg sentado em cima de mim no sofá, mas estou bem. Tenho vocês comigo. Se tem vocês, está tudo certo. É verdade.

Vocês podem não perceber o quanto, mas eu gostaria de dizer mesmo que vocês não entendam, o quanto, mas o quanto e quando vocês me fazem bem. Quanto!

AdoCão

> Cachorrada X Casa limpa

17/05/2016

Sempre me perguntam como a gente faz para manter a casa limpa e organizada com a cachorrada maluca e feliz que abrigamos por aqui. Na verdade, tudo isso começou de forma intensificada quando reformamos a nossa edícula.

Sempre falávamos que quando tivéssemos uma casa ela seria aberta e sem frescura. Quando digo isso, é uma casa à prova de farra de cachorros, sujeira de criança e com facilidade para limpar. O piso de madeira, por exemplo, era uma das minhas maiores paixões, mas, PENSA COMIGO: uma casa aberta, com terra, mato, umidade e 2 cachorros de porte médio? Só se fôssemos ricos para tanta manutenção. Este é um bom exemplo, do que aconteceu com praticamente com todas as decisões da casa. Tudo aqui a gente fez pensando dessa forma. Uma série de decisões baseadas no nosso estilo de vida e o que achamos que melhor se encaixa com ele. Pois sabíamos que queríamos ser família.

essa luz de vocês @melhordiadanossavida12976489_942648022522083_2083176887_n

Temos poucos móveis na casa, poucos apetrechos pequenos espalhados e deixamos só o que é necessário. Dessa forma, a cachorrada quase nem tem o que roer ou destruir por aqui.

Também evitamos deixar plantas no chão, pois podem ser mais atrativas. Lucy é um doce com elas, nunca estragou nada. Porém o menino Ringo ainda tem umas crises de filhote e corre com uns galhos por aí. Busco sempre pesquisar sobre os tipos delas, para quem nenhuma seja tóxica, vale reforçar.

O sofá de couro eu preciso confessar que é um sonho. As vezes eles entram com as patas molhadas ou cai terra e eu nem me enlouqueço. Pego um paninho e TCHARAN, tá novo. Embora eu ame tecidos como linho e veludo para estofados, esse tipo couro é um forte candidato.

e resolveram sentar ali pra contar como foi o dia #BarbaSendoLucy #nanossatoca de hoje, é de (de)coração. Temos uma única regra: se tem café na mesa é preciso dar tempo: 5 minutos, horas e horas, em pé, pra sí, olhando nos olhos, ajudando a revisar um email, sorrindo, ouvindo, soluçando de chorar, procurando as palavras, repensando tudo, sonhando alto, dividindo o silêncio, rindo dos cachorros, tanto faz. Importante é ser inteiro. Levamos ela à risca, na vida, mesmo fora da mesa - só uma desculpa pra mais um café

Os pêlos? Bem, não tem como. Apesar da área externa ser grande, Lucy e Ringo transitam pela casa toda e, algumas vezes, na cama. Quando eles estão na fase de troca de pêlo, varremos a casa pelo menos duas vezes. Principalmente a sala, onde a Lucy mais fica. Cansa? Cansa muito. Enche o saco? Enche. Mas, vale a pena. Tudo faz parte de um todo. A gente se diverte, acha graça, ama e temos trabalho. Se me arrependo? Jamais. Por mais cansada e estressada que eu possa estar ou sem tempo, ter a companhia dos dois comigo o tempo inteiro, conforta meu coração.

Manter a casa sempre em ordem, eu costumo dizer que é como cuidar de mim. Cuidar do meu, do nosso mundo. Cada um tem seus afazeres e manias para deixar cada dia mais agradável aqui. Um lar é viver diariamente em construção, dentro e fora. Não uso produto mágico ou eletrodoméstico tecnológicos. É preciso muita vontade, amor e nada mais.

Além de me presentear com sua parceria e companhia, ainda nos registra com esse olhar-amor. Obrigada, miga @reemonteiro Em breve alguns looks no nanossavida.com fotografados por essa linda!

A gente vai amadurecendo, criando raiz e buscamos cada vez mais algo confortável, prático e simples. E eu num vejo nada de ruim nisso. Afinal é possível alinhar com bom gosto e do jeitinho que amamos. Vocês sabem como eu amo ter tudo no lugar e bem limpinho então, acredite que é possível manter tudo normalzão mesmo com dois terrorzinhos. Vale lembrar que tudo tem um limite e quando queremos, eles respeitam bem. Quando falamos “fora” no quarto, eles já correm para o limite da porta e esperam sentadinhos.

Acredito que alcançamos uma boa comunicação, transbordamos amor e o trabalho sempre vai existir. E isso se chama relacionamento, ou melhor, família. Lar. Como preferir 🙂

“Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”.

AdoCão

> AdoCão: Ringo, 1 semana, descobertas e paz

22/04/2015

Nossa vida ultimamente esta assim. Quer dizer, mais ou menos. Não vou mentir. Passamos uma semana acordando durante a noite para limpar vários cocôzinhos do jornal. Dormimos mal, acordamos cedíssimo mas, não poderíamos estar mais felizes: somos +1, mais fortes, mais unidos e com mais histórias pra contar. E foi pensando nisso, nessa hora, que essa foto foi clicada – mesmo Fabinho meio rabugento acabando de acordar. Obrigada, miga.

IMG_6848-2 IMG_6793-19IMG_6766-7 IMG_6817-34 IMG_6813-32 IMG_6808-28 IMG_6806-27 IMG_6802-24 IMG_6801-23 IMG_6794-20 IMG_6781-12 IMG_6770-10 IMG_6769-9 IMG_6805-26
Ringo chegou fraquinho, com um machucadinho nas orelhas, pêlo super ralo bem palha e com uma gripe que não tínhamos notado. Lucy pegou um pouco, mas como ela já estava bem cuidada se recuperou bem rápido. Ringo ainda esta melhorando, mas a cada dia mostra que quer aproveitar cada momento com sua maninha e ao lado dos amigos visitantes. Já descobrimos que ele também gosta da acerola que cai da nossa árvore e que ama uma zueira: não poderia ser mais nosso que isso. Descobrimos outro fato curioso: Ringo não tem um dedão de uma das patinhas – não sabemos o porquê. Meu sonho sempre foi adotar um cachorrinho com alguma deficiência, isso não chega aos pés de ser, mas enfim, acho que a vida sempre traz, de alguma forma, o que a gente sonha, luta e deseja amar, quando esse sonho é algo bom. Ringo já cresceu um pouquinho, tenho certeza; e o seu pêlo? está crescendo macio que só. E o machucado na orelha? já sarou, tá sarado. Ringo é maduro. Por vezes senta e só observa a vida, a gente sendo gente.

Ringo é terrorista e espertinho. Já aprendeu a sentar quando quer alguma coisa, adora um banho morninho e topa qualquer brincadeira. Inclusive a de rolar no quintal com sua irmã e sem perceber, se melecar por cima de um cocô – ainda bem que os dois curtem um banho. Ele já descobriu como atalhar sua subida no sofá e também que na cama ele consegue “brigar” acirradamente com sua maninha. Ringo não destruiu ainda nada da casa, só tenta cavar na terra por vezes, mas adora os ossinhos, garrafas e o rabo da Lulucy. Nos somou ainda mais sorrisos em meio a bagunça do dia a dia e um novo olhar sobre as coisas. Ringo trouxe rotina para a casa, mas nem um pouco de monotonia. Apenas aconchego e ainda mais proximidade para nós, até então, três. Somos uma galera agora.

Ringo, como Fabinho disse no primeiro dia em que o viu, “é a paz em pessoa”.

AdoCão, VÍDEOS

> Biscoito caseiro para cachorro

07/04/2015

Já fazia tempo que eu queria muito tentar fazer um biscoito pra Lucy Maria. Costumamos comprar aqueles “bifinhos” de petisco, mas corto em pedaços BEM pequenos pois tem muito sódio. Agora ela tem outra opção um pouco mais saudável e também para o próximo aniver da bichinha, né? só fica nos olhando comer, tadinha.
Ela se matou querendo comer. Bom, vocês viram né? foi quase impossível gravar. E SIM, Lucy é muito delicadinha para comer – não sei quem puxou. 😛

Fica a dica que você pode colocar ao invés de banana, por exemplo maça amassada, mas aqui ela sempre demonstrou mais interesse por banana. Igual na papinha, se seu animalzinho já indicou que prefere um franguinho do que uma carne ou vice-versa, dá uma colaborada com ele na hora de comprar.
Na receita eu coloquei metade da quantidade de farinha integral e a outra metade de aveia para variar um pouquinho. Eu fiz eles bem gorduchinhos – sinceridade? ficaria melhor pro vídeo. Mas, também tanto faz. Pode deixar mais fininho, mais crocante, tipo bolinha, whatever, eles vão comer tudin!

Aquele beijo ♡

FAÇA VOCÊ MESMO (DIY), VÍDEOS

> Faço & Refaço: Suporte rústico para coleira

02/03/2015

IMG_4301-18

Eita, gente! É só aqui em casa que a coleira da D. Lucynha ficava jogada pra lá e pra cá sem ter onde pendurar? Acredito que não. Então com uma sobrinha de madeira, tinta, gancho e uma pata você consegue montar um suporte bem simplezinho e a cara, digo, a pata do seu bichinho 🙂 Vê aí!

Espero que seja útil ou que inspire ideias para um suporte para o bichinho de vocês 🙂

Ps1: agora só falta o barba furar a parede para eu pendurar. JÁ VIRAM TUDO NÉ
Ps2: próximo DIY de bichinhos será comestível.

Aproveita e se inscreve lá no canal 😀

AdoCão

> Entre crônicas: Lucy, a maior produtora de pêlos da história canina

05/11/2014

Quem tem, entende, não se importa. Sai de casa e a primeira coisa a se fazer é bater toda aquela pelaiada empregnada na roupa. É pêlo na cabeça, na nuca, não acaba jamais. E tem como se livrar? sinceramente? totalmente não. Até bichinhos com pelagem curta, meu amigo, uma hora vai ter queda nas viradas de estações e vai trocar. Tem jeito não. A boa notícia é que “tudo vale a pena se a alma não é pequena”, e é por isso que deixei essa frase pendurada na parede. É bom lembrar e relembrar, pra dar uma reclamadinha, mas não se deixar amargar.

Semana passada fomos ao veterinário, dar as vacinas anuais dela. Perguntei discretamente para a doutora se tinha algo a se fazer para dar uma ajudidinha pra minha coluna e uma aposentada na vassoura todo santo dia. E depois de me olhar fundo, suspirar e franzir o rosto, me disse que o clima instável nesse vai calor vem frio, só piora a troca de pelagem da estação. Ou seja, os pêlos estão descontroladamente perdidos. Assim como eu, todo santo dia ao terminar de varrer o banheiro e o quarto, respiro fundo na escada, me abano de calor e olho pra aquela cara de pateta e não consigo dizer nada. Depois varro o piso debaixo, naquele caça ao tesouro do lugar mais improvável que um pêlo vai estar, e sim, tem um bolo deles no meu vaso embaixo da escada. Já choramingando, abaixo até ela e peço encarecidamente “Vamos fazer as pazes pêlos, por favor? colaborem, vai.”. Ai, quando varro o quintal naquele calor infernal, já desisto e digo que vou embalar a cachorra a vácuo feito um brócolis ou passar máquina zero pra ela ficar igual um leitão rosa. E ela? fica feliz. Não tem como se zangar. Ternura é a arma dos cachorros, desmonta e quebra as pernas de qualquer coração duro, ruim, gelado ou esturricado de raiva. E então, quando a gente se deita no sofá para descansar de toda a maratona, aparece aquele tufo de pêlo rolando pelo chão, como uma bola de feno em um filme de faroeste, e só para de rolar até encontrar o pé de cadeira mais próximo.
Chora, amiga, que tá liberado.

A boa notícia é que pra todo pêlo que cai no tapete, colcha da cama ou almofada, tem a santa luva amarela de limpeza com um pouquinho de água pra passar as mãos e tirar todo aquele nosso tormento. Pra toda brechinha entre um cafézinho de 5 minutos e outro, tem essa escovinha para dar uma agilizada no processo e puxar os fulaninhos que estão pensando em cair pra nos atazanar. E, pra todo aquele pêlo grudado na roupa, tem um pedacinho de durex para passar e remover.
Brincamos, morremos de rir mas, sim, por vezes cansa chegar em casa exausta, 22:30 da noite e varrer a casa toda, não é o que ninguém sonha. Mas, todo mundo sonha em ser amado além de qualquer problema, cansaço, circunstância ou porquê e, é esse o preço. Nunca me passou pela cabeça não aumentar a família pelo trabalho que dará, mas temos uma pequena condição aqui na casa: nenhum bichinho chega, até um aspirador de pó entrar na nossa vida. Será que a gente aguenta? Pouco importa. É só um mero detalhe, no meio de muito amor que tem espalhado por aí na casa, materalizado em forma de pêlos – que neste texto acaba até virando poesia. Obrigada por mais essa, Lucynha. Por isso, volto de onde comecei: quem tem  ama, entende. ♡

IMG_3954-2IMG_3961-5 IMG_3950-1  IMG_3957-3

Sim, isso foi o que saiu daquele nosso tapetinho da sala. Palmas pra Lucynha e seu ótimo trabalho, hahaah.
Brincadeiras e texto a parte, essas dicas realmente ajudaram muito por aqui 🙂

AdoCão, VÍDEOS

> AdoCão: O que seu cachorro faz quando você sai de casa?

30/05/2014

Sim. O título já diz tudo sobre o post, não é mesmo?

No geral, a Lucy nunca comeu, destruiu, exterminou muita coisa aqui de casa. O saldo até agora foi: um capacete de bicicleta, cabo de carregador e a minha câmera Instax. Ok, acontece. Mas, sempre quando voltamos de algum lugar damos de cara com uma almofada aqui, outra ali no chão da sala. Eu, achando que ela pegava a almofada para fazer de lololove dela e o Fabinho achando que ela simplesmente deitava no sofá e quando levantava as almofadas estavam alí no chão, ó coitada! – e eu só perderia meu final de semana inteiro esfregando a bendita sujeira delas: almofada e Lucy. Santa ingenuidade a nossa! Um dia largamos a câmera no cantinho da sala e descobrimos!

Bom, assistam o vídeo! E, foco na cara de “UHUUUUL, É FESTA, A CASA É MINHA, CACETEEEEE!!!!”

Um beijo, uma lambida da Lucy e bom final de semana ♡