Categoria

Pedaços+Momentos

Pedaços+Momentos

> Pedaços + Momentos: Final de 2015

21/12/2015

Por aqui as coisas andam um pouco mais corridas e ao mesmo tempo mais calmas que o normal. Consegui depois de muitas madrugadas e manhãs voando adiantar trabalho e manter tudo em ordem pelos 10 dias que terei de férias. Nessas horas, sinto saudades de uma carteira assinada, fechar a porta do escritório e feliz ano novo. Nosso trabalho nos persegue 24 horas: Ainda bem que o amamos. Aqui em casa, o tempo parece que nos respeita e para – literalmente. Olha o nosso calendário. O tempo voou, tanto que mal conseguimos arrancar as páginas. Ao menos, conseguir parar e fazer exames médicos, tomei um belo susto e depois descobri que estava tudo bem. Mudamos um pouco nossa parede, mas ainda precisamos pregar muitos quadros pela casa da Parederia. Quem acompanhou o meu drama com o manjericão pelo snapchat, agora ele está grande, forte e sem bichos. Não fiz nada, acredito que foi algo da natureza mesmo. Assim como as pragas vieram, um dia, foram embora. E tudo ficou bem. A vida tem dessas, né? Lucy anda mais na dela e sentindo falta do Barbinha que está com alguns trabalhos fora. Ringo, em compensação, nunca me deixa. Sinto que, de alguma forma, todos nós estamos nos reciclando e nos preparando para passar o ano mais leves possíveis. A única coisa certa é que não vemos a hora de dar check em todas pendências e ficarmos amassados no nosso velho sofá. Se eu posso desejar algo para 2016 é isso: Sofá cheio para o coração transbordar. O resto a gente cria asas, voa e corre atrás.

IMG_1742-1 IMG_1740-1 IMG_1741-1 IMG_1698-1 IMG_1715-1 IMG_1704-1

Pedaços+Momentos, VIDA

> Pedaços + Momentos: Reflorescendo e o Certo que deu errado

03/11/2015

Faz tempo que não posto nesta categoria! A vida anda uma loucura e traz a sensação de que temos poucas novidades para contar e nada para fotografar fora agendas rabiscadas. Na verdade, muita coisa tem mudado por aqui – de dentro para fora. Muitos planos a longo prazo, sonhos, plantando com carinho e a maturidade que só o tempo nos dá como presente. Alguns cantinhos plantados não florescem, quanto outros que não havíamos plantado, brotam. A natureza é algo assim, impressionante e imprevisível: o equilíbrio perfeito. Ringo tem fuçado menos nos vasos, mas o pé de mexerica recém plantado continua fechadinho para não ser atacado. A acerola brotando tanto que não sabemos sequer o que fazer com tantas, enquanto eu respiro privilegiada por ter esse pedaço verde com a gente. Alguns cochilos quando a madrugada é intensa de trabalho, minha indignação com as roupas dele fora do armário e o faça você mesmo de vaso de concreto que segui a risca cada passo e, deu errado, mas uma hora vai dar certo – e claro, conto pra vocês. A vida é isso: um misto de erros que precisamos aprender.

E por aí, como anda a vida?

IMG_0905-10 IMG_0907-11 IMG_0909-12 IMG_0914-15 IMG_0916-16  IMG_0955-31

Pedaços+Momentos, VIDA

> Viajar é bom, voltar para casa dá frio na barriga!

11/08/2015

Parei na porta, coloquei a mala no chão e antes de girar a chave, senti um frio na barriga. FRIO NA BARRIGA! Depois de mais velha, essa é uma das melhores sensações da vida.

Fazia meses que eu não ficava um tempo fora de casa. Esse é o porém de se trabalhar e morar no mesmo lugar. Ou melhor, no mesmo universo. A gente conversa, sonha, come, dá risada, briga, limpa, suja e trocamos problemas do dia a dia: Tudo isso, no mesmo lugar. Ás vezes, são tantos problemas, que fica difícil nos darmos conta de como a vida é gentil. Temos um teto, um colchão, um chuveiro quente e comida. O sonho de muita gente.
Os últimos três meses foram os mais corridos da minha vida. Não tenho final de semana. Trabalho de manhã até dormir. Vejo pouco minhas amigas, família e perdi um pouco a paciência com a farra na casa. Ao mesmo tempo, qualquer 5 minutinhos, eu corria para perto deles. E com quem amamos, qualquer minutinho é uma eternidade, é conforto para o coração. Então, viajamos. Matei a saudade da minha outra família e lá percebi como aqui o meu tempo voa. E como eu amo essa vida: corrida, com amor e pêlos no chão. Eu não via a hora de viajar e quando viajei, não vi a hora de voltar. Pois lá, senti ainda mais forte, como é bom estar em casa. No caso, a física. Neste canto onde tudo acontece: coisas boas e coisas ruins.
Mas é aqui, onde tudo acontece. É aqui, neste endereço que chamo de lar. Seja lá onde eu estiver, meu coração estará por aqui. Nesta casa meio nova e meio antiga, onde tenho a família que eu sempre quis cuidar e doar, até o tempo e as energias que eu não tenho. Aqui onde choramos as pitangas e nossas fraquezas sentados no chão da sala. Mas, ainda é aqui, que escolhemos chamar de casa. De nosso lar doce – e não muito normal – lar.
Ás vezes a gente precisa viajar, para enxergar o quanto menos a gente precisa e o quanto mais temos que agradecer. Eu precisei de 1.124 km para isso. Talvez você não precise de tanto, espero.

O frio na barriga quando somos novos, nos confunde. Mas, quando somos mais velhos, ele confirma. No caso, toda a minha infinita ansiedade em agradecer os sentimentos e valores ao redor deste cantinho. É isso que precisamos para viver.

Mi casa, es su casa.

 

Pedaços+Momentos, VÍDEOS

> Pedaços + Momentos: Carnaval: bloco da preguiça, bolinha e reaproveitar madeira

19/02/2015

Hibernar, não ver o tempo passar, morgar, tomar café e se zoar – mas da cama, nem pensar em levantar. Levantar, tomar café, trabalhar, organizar a vida, a casa, dentro da gente e reaproveitar: o que tem de bom em nós e as madeiras. Brincar, trabalhar, jogar uma bolinha por tempo eterno, varrer todos os pêlos do mundo que resolveram invadir a casa, cuidar e amar demais. Ver a família, trocar risadas, indiretas, apostas, dividir sonhos, cozinhar com um mata pernilongos na mão e rir, rir e rir – porque a zoeira não tem limites. Ah! e nem o café. Por favor, vários. Todos possíveis.
Assim foi nosso carnaval. Íamos viajar, mas resolvemos viajar por aqui mesmo. Aquietamos. Nos rodeamos de amigos, amores, família e de nós. Não ir muito longe de espaço, mas ir fundo-fundo nos sonhos e nos planos, do que somos e do que podemos ser. É preciso.

Estou com uns 4 vídeos para editar e estou correndo pra conseguir finalizar e continuar gravando os diy da minha listinha. Uma hora sai! Tenho uma novidade bem legal para contar que logo logo vem aí e outra que está tomando um pouco do meu tempinho e que não vejo a hora de compartilhar! CALMA, CALMA.

Espero que o carnaval de vocês tenha sido delícia, com mucho sambão ou enfiado nas cobertas. Agora, mais uma vez, OI 2015.  🙂 hehe

Pedaços+Momentos, Por aí

> Pedaços + Momentos: Férias, “em casa”.

12/01/2015

IMG_4908-1
Finalmente saímos de férias! Separamos, como sempre, 15 dias para ficar coladinhos da família do barbudo, lá no RS – Cachoeira do Sul. Lucynha este verão, ficou com os meus pais e, aparentemente, amou. E nós morremos de saudade dela. Por nossa sorte, a família Gomes é cachorreira até aszora e tinham 4 cachorras lá pra gente rolar no chão. Mas, o melhor mesmo, foi não ter feito NADA! Se jogar na sala, cada um em um cantinho, por horas meio espremidinhos, olhar um pra cara do outro fazendo piadas e terminar de assistir nossa série preferida do momento. Sentar na cozinha, preparar algum quitute e dá lhe papo de histórias antigas, novas e claro, zoar a vegetariana. Passei o ano novo com um ser deitado na minha perna e com mais três cachorras em cima de nós. Amor, define.IMG_4921-1IMG_4948-4IMG_4954-1
Quem me acompanhou lá no instagram deu pra sentir como eu estava literalmente, com o coração nas nuvens. E é sempre assim quando vamos para lá. Quando começamos a namorar, demorei um ano para conhecer os meus sogros – sogros? palavra aterrorizante para uns e, segundos pais para mim. E foi no final de 2010 que cheguei lá com um pouco de timidez que durou apenas 15 segundos, até o Juninho, o cão tarado, cravar nas minhas pernas num vai e vem na maior paixão. Caímos na risada e pronto, passou. Fomos lá para o quintal e quando vi aquele jardim e o pergolado cheio de mato, dos meus sonhos, cutuquei o Fabinho para comentar e ele estava na maior zoação com o pai dele, escondendo o dedo do meio atrás de um refrigerante. E mais uma vez, caímos na risada e pronto, eu sabia mais ainda que estava na família certa – mas, não a mais normal.
Então, sempre quando vamos é isso: me sinto em casa. E tive certeza que não só estava, como aparentava isso, quando no meio de um churrasco, uma intercambista dinamarquesa perguntou para o irmão caçula do Fábio: vocês três são irmãos? Caímos na gargalhada – pois, essa não foi a primeira vez. E o caçula falou: é, ela é parceira, não deixa de ser.

IMG_4965-1 IMG_4985-1 IMG_5024-1 IMG_5025-1 IMG_5033-5 IMG_5053-1 IMG_5058-1 IMG_5132-39
IMG_6492
IMG_7374
IMG_7255
IMG_6970
 IMG_7117 IMG_6871
IMG_6724
IMG_6720 IMG_6681 IMG_6614 IMG_6517 IMG_6501

Muita gente acha impossível definir o amor, de um modo geral. O amor amigo, paterno, materno e o para com deus, não só o amor romântico. E realmente esse é um trabalho danado de concluir em uma só frase. Mas, pra mim, amar é uma coisa cada vez mais simples:
é como estar em casa. ♡

Aqui, algumas fotos tiradas com minha câmera T1i e também algumas com meu celular – ia separar mas, acho que fica menos enjoativo assim, hehe.

Agora sim, OI 2015, voltamos! 😀

IMG_7648

Pedaços+Momentos, VÍDEOS

> Pedaços+Momentos: Um dia comum

28/11/2014

Primeiro, vou contar por aqui que sim, fiz um canal no youtube. Infelizmente, perdi os comentários e tudo mais que tinha por lá. Mil perdões! Mas, foi por bons motivos. Pretendo manter bem mais atualizado e filmar algumas dicas de decoração e receitinhas assim, fica com certeza, mais fácil de vocês entenderem – e a maioria disse que queria ver mais vídeo por aqui, entón…. Pra quem quiser se inscrever, clica aqui
Aí, pra estrear a coisa toda, resolvi dar uma mudada e fazer um post desta categoria que geralmente são fotos do dia-a-dia, em forma de vídeo! Vejam aí qualé que foi 🙂

Infelizmente os momentos mais bizarros, não consigo filmar mas, também depois de tantas crônicas dessa arteira e do vídeo da farra dela com as almofadas, meidesnecessário, hahaha. Mas, ainda consigo filmar ela comendo pernilongos ou dando um santo arroto depois da ração.
Só agora me dei conta que o último vídeo da Lucy, foi de quando ela estava 2 meses com a gente – você pode ver aqui –  mas, também com o tanto de foto que tiro e posto, né, não sei como não me batem. Ela está bem mais encorpada, engordou 2 quilos e está com muito mais pêlo. E viva o amô desses bichinhos que não tem preço \o/

FAÇA VOCÊ MESMO (DIY), Pedaços+Momentos

> Pedaços + Momentos: Casa, detalhes e ideias

07/11/2014

Faz tempo que não tem essa categoria por aqui. Tô perdendo a ordem nesse site, êtanóis. Por aqui, a coisa anda assim, vamos lá: A pitangueira tá chovendo pitanga no quintal da frente, mas quem disse que a gente consegue pegar? A fia é alta demais, aí poucas conseguimos salvar do chão; Seguimos revirando as caçambas da vila ao redor e encontramos essas madeirinhas que com uma reforminha ficarão ótimas para pendurar uns vasinhos; Fiz meu primeiro feijão! Enfiei loro e temperinhos nele, deixei curtir bem o caldo pra engrossar: ficou amor, gente. Emocionei muito.

IMG_4253-1 IMG_4254-1 IMG_4183-1Lucynha anda muito mais calma, cansa muito mais rápido nos passeios e anda mais preguiçosa no dia a dia – salva a exceção quando chegam visitas que ela fica ma-lu-ca; Um dos primeiros DIY que postei aqui para decorar suas almofadas, não lembra?então vê aqui; Não vejo a hora de ter o deck de madeira ali no meio e grama nas laterais, mas isso é besteira. Olha a cara da Lucy Maria de quem se importa com isso? 🙂

IMG_4190-1 IMG_4116-4IMG_4128-1Furamos as paredes – de baixo! ALELUIA. Esperei o Fabinho, não por não saber martelar, falou a pedreira né? Mas, porque já tinha ouvido falar que em paredes de tijolinho de demolição usar parafuso e bucha são bem melhores que pregos, por quê? Porque o peso vai forçando o prego, desgastando a parede e aí é PÓ e, eu ODEIO poeira -o capslock é muito necessário pra me expressar aqui, desculpa. Mas, quem me segue lá no instagrão já viu que já mudamos a parede, né? Fabinho fez este suporte para pendurarmos a princípio o ukulele, mas acabou sobrando pro violino. Por mim, ‘tantufaz’, quero mais é casa cheia de música por todo canto; Caixote é uma coisa útil e linda, né? Ainda vou arranjar outro deste para colocar nosso telefone e tal. Esqueci de tirar foto, mas pra quem pensa que a madeirada por aqui acabou, no nosso quintal tem um total de 12 paletes. “VIRGMARIA”, pensou isso, né?

IMG_4147-1 IMG_4248-1 IMG_4258-1IMG_4155-1 IMG_4119-1IMG_4240-1IMG_4201-1Como disse, faltam os quadros do quarto e mesanino, estes são alguns. Reparem que na moldura da pena, é daqueles espelhos bem de véio, sabe? Meu avó tinha vários no banheiro, é muito nostálgico pra mim. Paguei 1,90 em cada. Pintei com spray e virou moldura; Muito feliz com esse pé de acerola que resolveu crescer. Não vejo a hora de ficar cheiona como era antes da tosada; Pendurei este cesto, do mesmo jeito que ensinei a fazer o suporte para vasos. A diferença foi que depois do último nó, fiz uma trança para ter mais altura até pendurar, minha xodó; A cadeira de balanço não era bem pra ficar aí. Eu queria MUITO uma cadeira de rede. Vamo$ aguardar.   IMG_4132-1 IMG_4122-1IMG_4261-1 IMG_4256-1IMG_4161-1Desencanei total de pintar essa geladeira – mal consigo dar conta de reformar o armário da cozinha, gente. Por enquanto a ideia é encher de fotos do instagram. Essas a gente tinha ganhado da Malwee; Adorei o suporte para coador de pano que a gente encontrou, ali no largo da batata, 8 dilmas só; E, além disso, estamos reformando nossos estúdios. Aff, gente, minhas unhas odiaram este ano, tadinhas. Cansada, não vou negar. Mas, vem aquela felicidade depois, né? Foco nela, foco.

IMG_4204-1IMG_4148-1 IMG_4149-1

Algumas pessoas me pediram fotos abertas dos cômodos, isso fica pra depois. Não por minha conta, ha ha 😉 surpresa.

E, por aí, como vai a casa? a vida? o papagaio? 🙂