Categoria

Inspirações

Corrida, Inspirações

> MINHA PRIMEIRA MARATONA

10/04/2017

Essa foto foi nos 30km. O dia mais desgastante da minha vida, foi o melhor. Mas, calma, temos muitos km pra contar ainda.

Tudo começou a nem 2 anos atrás quando meu cunhado tinha começado a correr e fez meu namorado se apaixonar também. Não demorou muito para que eu desse uma chance a mim mesma para testar. Hoje, posso seguramente dizer: foi a melhor escolha que fiz para minha vida.

Essa semana passou voando e mexeu muito comigo. Além de estar animada, os dias de TPM são bem dureza na questão psicológica. Pensei, achei que não ia dar, depois pensei que podia e, então na sexta-feira pela manhã, eu decidi que ia fazer dar certo sim. Eu ia.

Domingo de manhã, chegamos na prova e tudo estava muito bem organizado. Acordei tranquila, me posicionei no meu setor e comecei a me alongar. Observava as pessoas ao redor e vi de tudo: altos, pequenos, magros, mais cheios e muitas, MUITAS pessoas de idade concentrados e sentados no beiral da calçada. Olhei uma senhora com seus lá 60 anos e pensei “vou ficar na cola dela, ela sabe o que faz” e a perdi de vista. Às 7:30H, foi hora da largada. Como de se esperar bem devagar e com quase nada de espaço , o que foi bom para manter um ritmo leve e de aquecimento. A maioria quebra na empolgação da saída. Afinal, quando se vai fazer 42km a pergunta a ser feita é: Aguento mais ou menos nessa média até o final? O seu corredor administrador precisará responder. Decidi ir sem pressa. Apenas conferindo no relógio para não empolgar com os gritos e energia tão boa e que nos anima. Logo nos 8km, uma moça parou comigo: “Posso ir com você?” Claro que sim, eu respondi. Ela ia fazer 24km e comentou que estava com receio de não terminar. “Na verdade, você vai correr só 16km agora” eu disse. Ela me olhou sorrindo. Estávamos em um pace bem baixo do que eu queria, mas sentia que a medida que engrenava, ela perdia o controle. Decidi me manter ao lado dela. Fui e peguei dois copos de água, um pra mim e outro pra ela e seguimos. O primeiro anjo no caminho que me fez olhar menos para o chão e mais para o lado. Foquei menos em mim, mais nela e foi lindo.

No 14km um moço de americana chegou em nós também. Contou que ia fazer a maratona e estava com medo de quebrar e não terminar por não conseguir concluir os treinos longos direito. Tentei distraí-lo com outras coisas: Rimos do moço comendo salame, do cara bebendo coca-cola e nos emocionamos com a senhora de 70 anos correndo cantando. Meu único erro, foi não ter perguntado o nome deles. A moça disse que iria segurar e ele, se apressar mais. Espero muito que tenham chegado onde queriam.

No 18km eu me sentia bem. Tinha energia, perna e a cabeça estava boa. Me arrisquei e mandei uma foto para os meus pais que não puderam ir para dizer que estava tudo bem. Mandei um te amo para o Fabinho. Entrei na USP e sabia que ali o buraco já seria mais embaixo. Mas, logo no 21km, conheci a Regiane. “Eu te vi vindo bem e vim atrás de você”. Sério? Ela balançava positivamente a cabeça enquanto comia o gel de carboidrato e me oferecia. Contei que estava comendo de 6km em 6km e agradeci, estávamos no ritmo que eu queria completar a próxima metade da prova. Regiane ia fazer a prova de 24km, contou que fazia triathlon e me indicou exercitar outro movimento nas pernas de tempo e tempo para aliviar o ácido lático. Foi ótimo. No 23km ela sorriu e me disse “Isadora, muito obrigada por me trazer até aqui”. Eu ri e disse que foi o contrário. Ela me olhou e continuou “Você me deu vontade de fazer 42km, mas eu vim com cabeça de 24km e vou quebrar se continuar. Mas, vai com força. Você já enfiou os 42km na cabeça?”. Disse que sim, mas só tinha me dado conta naquele momento do quão puxado seria. Ela apertou minha mão como se acreditasse em mim, saiu para seu sprint final e gritou “24km é a hora do seu gel”. Regiane foi meu terceiro anjo. Ela me deu consciência da força que eu ia precisar.

Dali até os 31km foi quando me senti um pouco mais fraca. Sol, muitas pessoas caminhando e o trajeto sem nenhuma sombra. Foi exaustivo demais, mas não pensei 1 segundo em parar. Olhei no relógio e meu tempo não era o que eu tinha pensado, mas estava no estágio que não percebia que estava correndo, as pernas apenas iam. Acho que Regiane tinha ajustado os 42km na minha cabeça de qualquer maneira. Combinei com Fabinho de que eu iria mandar uma mensagem nos 32km, para dizer como estava. Eu não via a hora de chegar nesse trecho para dizer que estava bem. Peguei meu celular e disse que estava ok e com as pernas um pouco pesadas. Até que escutei um “ISA!!!!”. OXI? Fábio? Esse lado da história do Fabinho vocês verão no vlog.

Dos 32km em diante seguimos juntos. Resolvi diminuir o ritmo por questões de pernas mais pesadas que o normal. Tive muito receio de faltar para os kms finais e comprometer tudo até ali, apesar de me sentir bem e inteira na medida do possível. Fabinho estava bem e animado, embora agora ele me conte que continuou correndo só para terminar comigo e que não estava nos melhores dias. Nos 35km foi quando a maratona oficialmente começou pra mim. Brinquei que não corri 42k, corri só os 8km mais duros da minha pequena vida na corrida. Minhas coxas pareciam ter 10kg a mais, tinha que me policiar para manter a postura e o pace já não me importava: era trote até o fim, contanto que meu relógio mostrasse 42.195km. Neste trecho a maioria das pessoas estavam parando e caminhando, confesso que isso me deu dor no coração. Não importa o tempo de chegada, se você fez 42km, você é um maratonista. Mas, vi muitos chorando, gente com físico muito bem preparado sentado, senhores com passinho devagar animando quem aparentava desistir, pessoas passando mal. Eu sentia minhas coxas bem pesadas, mas sabia que não iria parar ali. Eu pensava no que eu poderia fazer, jogava água, seguia o conselho da Regiane, pensava na mensagem que minha mãe enviou de manhã. Foi duro. Pensei que não ia dar.

Os últimos 2km foram dramáticos, mas os mais especiais. Durante todo o percurso tinham pessoas animando, gritando, aconselhando e ajudando com TUDO o que podiam. Eu me emocionei o tempo inteiro. Gente que não me conhecia, lia meu número de peito e me chamava pelo nome. Gente que sonhou esse sonho como a gente sem nem nos conhecer. Faltando 1km, um moço me viu com lágrimas trancadas e disse “CHORA QUE JÁ É SEU”, desatei a chorar e soltei as pernas. Eu já enxergava o pórtico, minha melhor amiga me esperando de surpresa, meu melhor amigo ao meu lado e eu só conseguia sorrir: nem 2 anos atrás, eu chorava porque não conseguia correr 400m. Olha onde eu tô?! Fabinho abriu os braços e eu o abracei forte. Chegamos onde queríamos e sonhamos juntos.

A maratona foi um processo pessoal, doloroso e especial pra mim. Já não importava mais se eu terminaria ou não, eu tinha aprendido tanto. Eu estava apaixonada pela corrida, mas foi neste processo que realmente virou amor. Parei de me preocupar com números, parei de me cobrar ser 100% sempre, passei a me divertir e entregar o meu melhor de cada dia. Quando terminei minha primeira meia maratona, 1 ano atrás, eu não sabia pra quê correr 42km. Hoje, eu sei. Vivi cada km nesse percurso. Senti cada dor, cada sorriso, cada cansaço e cada lágrima. Não fugi: eu queria viver tudo isso ainda que fosse preciso dar todas minhas reservas e inseguranças. Terminei com mais vida do que nunca dentro de mim. Terminei com fé na bondade das pessoas, terminei com fé em mim.

Este, parafraseando Lucy, foi o melhor dia da minha vida. O primeiro..

Corrida, Inspirações

> Persistência é o segredo

14/03/2017

“Como começar a correr”, já pesquisei isso no google, é uma das perguntas que mais recebo e já foi um post aqui do blog também.

É tão difícil. Comecei sem achar que ia conseguir e, se me perguntarem, até hoje, não falo que corro. Comecei devagar, com dificuldade para respirar, sem aguentar o peso do próprio corpo, mas eu queria. Não sabia o porquê, mas queria.

A gente pensa e se pergunta muito em como começar, mas o certo seria “como continuar a correr”. A corrida pede equilíbrio, insistência e persistência. Vai cansar e não vai dar barato nenhum na primeira semana. Você continua achando que todo o pessoal que corre, diz que ama e levanta as 5 da manhã no domingo é doido. Ainda não é possível de entender como alguém curte aquilo. Correr ainda é um desconforto, mas você conseguiu ir 3x na semana. Parabéns!

Na segunda semana o corpo parece que pesa ainda mais. As pernas então nem se falam, estão duras e contraídas. Você resolve tentar mais uma vez. Apesar do corpo se acostumando com o esforço, você consegue suportá-lo um pouco melhor e já é muito motivador. Terceira semana e você já pegou gosto pela coisa e isso não significa que não será difícil. Mas, já está naquele estágio em que você planeja ir mais longe, ou mais rápido ou sem as pernas doerem tanto. São dias em que você não pensa em furar o dia da corrida, a respiração flui melhor, ainda não é confortável e, então, a força aparece.

A corrida pedirá equilíbrio para você se enxergar e ouvir o seu corpo. A hora de descansar, alimentar, cuidar, diminuir ou acelerar. Depois é necessário insistir mesmo com alguns incômodos e que ainda não seja confortável encontrar o ritmo e a coordenação. Persistir dependerá do quanto se deseja.

Eu diria que correr por 1 ou 2 meses, 3x na semana sem furos e com os devidos descansos, já é transformador. Você sente melhoras nítidas no seu corpo e durante o dia. Me tornei um pessoa muito mais tranquila para as decisões do dia a dia depois que comecei a correr. Demorei 1 mês para me viciar, Pode ser que demore mais ou menos, depende de cada um, como em tudo na vida. Pode ser que você não goste mesmo de correr, acontece. 1 mês depois que comecei a correr eu já revirava minha agenda para não deixar de ir. Pensava em voltar correndo de um compromisso ou outro, ir mais cedo, ir mais tarde, ir no dia seguinte. Correr me fez desacelerar a rotina e respeitar a velocidade de cada fase da vida que há em cada dia. Correr é sobre isso: persistir. Apenas isso.

A corrida é um esporte individual. A força de vontade e a disciplina também. Entretanto ter um amigo para conversar, ainda que ele não te acompanhe é muito motivador.

Se você começou a correr a pouco tempo e gostou das primeiras sensações, eu digo: Persista. Parar e desacelerar pode ser preciso, mas não desista!

Depois é coisa de tempo, você provavelmente já se viciou um pouco no bem-estar, no estilo de vida, em competir com você mesmo e já se desdobra para tirar 30 minutos para sair por aí. Vicia? Vicia. Depois não diga que eu não avisei…

Corrida, Inspirações

> Dicas para começar a correr

31/01/2017

Desde que começamos a correr, pegamos gosto não só em fazer, mas de falar sobre isso. É normal quando algo nos faz MUITO bem a gente querer recomendar e querer que todos ao seu redor se sintam tão bem também. Claro que é bacana cada um buscar o que dá prazer como: bike, dança, natação, enfim. Voltando para a corrida…

Separei neste post algumas dicas que me ajudaram muito neste processo para começar a correr. Vamos lá? 🙂

  • DEVAGAR E SEMPRE

Primeira corrida que fiz no parque foi engraçada. Larguei em 5:50 por km, velocidade sem noção para quem nunca correu na vida. Digna de dar risada, afinal 150m depois eu não conseguia mais sair do lugar e não conseguia respirar. É nessa hora que você entende que correr exige planejamento. Você precisa pensar na constância X que conseguirá manter pelo tempo X de exercício. Tudo isso é um ponto de interrogação quando você não sabe nem se gosta daquilo e muito menos não sabe o ritmo de respirar. Então, meu conselho: Sabe aquele trote de vovô correndo no acostamento? É este mesmo – são os que vão mais longe. Não tenha vergonha. Só quem corre um tempinho sabe como manter um rimo de todo o corpo por UM KM é difícil e exige persistência.

  • VAI DOER!

VAI. Minha primeira corridinha, antes dessa do parque, foi de 2km na esteira. Por estar na academia mais ou menos 1 mês achei que não ia doer nada depois. HÁÁ! Dia seguinte minhas pernas pesavam o dobro em lugares que nunca imaginei que existiam. Subia escada e o quadríceps gritava, na frente da canela(?) pareceria ter uma faca, tornozelo e em cima do joelho parecia que amarraram um tijolo. A gente treina justamente pra criar essas “micro lesões” que vamos fortalecendo com o tempo. A corrida é um esforço super repetitivo então é preciso estar com o corpo resistente e forte! Coisa que nessa época tão sedentária do ser humano, não estamos nenhum pouco. Mas ficaremos é só persistir! 🙂 E para isso…

  • CADÊ OS MÚSCULOS ?!

… Músculos são necessários e MUITO! É na musculação que você irá fortalecer todo o corpitcho, tendões e ligamentos para aguentar os impactos da corrida – que são MUITOS. Corpo de atleta de elite é SECO que só, mas é puro músculo. Pense que o seu pézinho e a mecânica do seu quadril e costas que irá “carregar” todo peso do seu corpo por pelo menos 30 minutos. É intenso! Muita gente menospreza a musculação, ainda mais porque bem no começo ela deixa muita fadiga muscular e compromete os treinos de corrida. Garanto que depois acostuma. Mas, se hoje, tanto eu quanto Fabinho não nos machucamos correndo “por conta”, foi por causa dos benditos exercícios com elástico, ferro, peso do corpo. Fabinho já fez uma cirurgia no joelho, então sempre foi bem empenhado no fortalecimento mesmo não sentindo dores nas corridas. Eu senti bastante. Tive (ainda tenho) que agachar horrores para proteger o joelho e peito do pé de dores. Ah!! Não é só perna! Costas, peito e abdômen são muito importantes, pois darão estabilidade para todo o corpo. Quando dizem que corrida mexe com tudo, é verdade. Se você não quer evitar se lesionar para correr felizinho, capriche.

  • RESPIRAR É PRECISO E DIFÍCIL

Acertar a respiração foi a minha maior dificuldade. Justamente por sair feito uma louca desvairada no início. Muitos treinadores recomendam começar a correr por 1 minuto e caminhar por 1 minuto e assim vai progredindo o tempo a cada semana de treino. Para mim não funcionou bem. Eu sentia que quando começava a me entender com a respiração, eu tinha que parar para caminhar e perdia o ritmo. Segui o conselho do meu cunhado “não vai pelo puxa um solta dois pela boca, tenta deixar fluir”. Isso funcionou bem comigo. Claro, com o tempo fui acertando melhor as puxadas de ar com a velocidade e tudo o mais, mas no começo além de me deixar mais livre, isso me deu segurança para ouvir o meu corpo. A respiração foi de uma dificuldade para algo prazeroso de entender e me dedicar. Sem música nos ouvidos, sem nada, só persistindo. Correr na esteira me ajudou demais a ganhar ritmo, além de dar uma amortecida no impacto do começo.

  • TÊNIS É INVESTIMENTO

Acho que esta é a única coisa que não dá para fugir. Top errado, shorts que incomoda no começo a gente aguenta. Claro que se você tiver condições já compre de marcas esportivas para melhorar o seu conforto, mas não é nenhum pouco obrigatório. Eu fui montando tudo aos poucos. Até fiz 3 corridinhas com um tênis BEM nada a ver e resolvi ir atrás de um decente. O tênis é fundamental e muito individual! A gente curtiu muito a série boost da Adidas. Confesso não conhecer ainda muito da Nike e Asics, duas marcas mais famosas. Vale uma visita nas lojas, conversar com vendedores para entender melhor cada tipo e modelo. Tênis bom é leveza e amortecimento bacana para você, não vá de all star como eu já fiz! hahah

  • CORRER TODO DIA? NOOOOOT!

Acho que aqui mora o maior erro. Eu me coloco no grupo de pessoas que deu uma corridinha, animou, apaixonou e quis tentar no dia seguinte se superar. Mas, se controle!!! Sério. Não corra todos os dias. Coloque uma musculação no intervalo ou até mesmo descanso. A recuperação muscular e de estímulos é bem importante ainda mais no começo. Depois você poderá separar os treinos com intervalados, longos, de ritmo, subidas e assim cada treino irá estimular uma região das pernocas e não forçar apenas um tipo de fibra e grupo muscular. Mais importante do que fazer todos os dias, é fazer sempre. Corrida é persistência. É ritmo e vai virar a melhor coisa da sua rotina 🙂

  • DIVIRTA- SE!

Sim! No começo é difícil. A gente quer correr sorridente que nem em comerciais. A sensação do pós corrida ainda que não tenha sido das melhores, é mágica. Você fica zen pelo resto do dia. Mas neste começo, correr ainda não será um processo natural. Você ainda vai ajustar a quantidade de comida do antes para não passar mal, o tempo de espera para sair, o tênis correto, a roupa adequada, acostumar com as interferências climáticas, o melhor horário, a hidratação, a música se quiser, o ritmo da respiração, as dores do dia anterior. Algumas pessoas possuem mais afinidade ou até melhor condicionamento e talvez tudo isso flua mais rápido, mas sempre digo: CURTA! Demorei 3 meses para calçar o tênis e sair correndo sorrindo feito tonta sem pensar muito e me preocupar. Quando tudo já tiver se tornado um processo natural, você resolve aumentar velocidade, distância, rendimento e então, tudo começa desde o início, quase do zero… 😛

Me perguntam bastante se tivemos algum acompanhamento profissional e não tivemos. Na época estávamos na academia e comentava com o instrutor, mas não passava de um incentivo, não recebíamos dicas. É necessário um? Você precisa fazer um checkup geral, isso é ÓBVIO, antes de qualquer prática de exercício. Sim, até para correr. A gente não tem noção do nível extremo de sedentarismo que a sociedade chegou. Eu sempre fui ativa, de não parar quieta por um segundo e, ainda assim, não tinha acho que meio kg de músculo no corpo haha.  Meu conselho? Vai devagar em uma esteira ou no parque, até para ver se irá gostar. Persista. Se tiver condições financeiras e gostar, invista sim! Aqui fomos indo, indo, indo e virou amor.

Espero que as dicas ajudem e estimulem quem deseja começar a correr 🙂

A corrida mudou a nossa vida, mente, corpo e nos fez enxergar a vida com muito mais calma. Recomendamos.

Inspirações

> Ideias de Decoração para Mesa de Natal

05/12/2016

Natal é uma das minhas épocas preferidas do ano. Amo a mistura de nostalgia e família que paira no ar de forma tão natural. Desde que conheci o Fabinho, esta época nós costumamos passar com os pais dele no interior do RS. O que deixou o mês de dezembro declarado como “os dias oficias da ansiedade para viajar e curtir este momento ao lado de quem amamos“. Para ser sincera, acostumei tanto nestes 7 anos com as decorações -lindas por sinal- da minha sogra, que quase não fazemos muita coisa por aqui. Ficamos tão na correria de terminar e adiantar o trabalho para o tempo que ficaremos fora que quando vemos: OPA! TÁ NA HORA DE IR. Apesar disso tudo, adoro as mil opções de decorações natalinas que podemos fazer, não só de árvores, mas com a mesa para confraternizar.

Natal une as pessoas, FATO. É aquele momento em que ficamos ao redor da mesa (devemos agradecer que na maioria das vezes está farta) e, ao lado de pessoas especiais. Por isso, nada mais justo do que ter uma decoração para mesa de natal bem especial. Separei algumas ideias e inspirações que eu adorei e que podemos facilmente adaptar para ser um Natal inesquecível e cheio de carinho em cada detalhe!

mesa2mesa1

Para os mais clássicos e que amam o combo vermelho+verde+branco+dourado, é hora de curtir cada segundo deste mês. É bem fácil encontrar diferentes detalhes, arranjos e objetos nestas cores. Gosto da ideia de uma mesa clean e ao mesmo tempo bem organizada. Afinal, temos que jantar nela, hehe. Uma paixão: guardanapos de tecido. Eles são tão charmosos e com frutinhas, fitas ou bolas de natal, podemos fazer um lindo porta-guardanapo que dará todo toque especial.

detalhesmesadenatal

Se tem algo que não pode faltar são FLORES. Sim. Em qualquer estação e comemoração elas são bem-vindas para trazer esta atmosfera suave e apaixonante. No natal, rosas e flores do campo trazem simplicidade e aquele toque zeloso para a decoração.

detalhesmesadenatal2

Para os fãs de uma decoração rústica, abuse de plantas, madeira, tons pastéis e estampas divertidas. Tudo ficará com um toque natural e ao mesmo tempo sofisticado. Arranjos com alecrim e eucaliptos dão um ar delicado e ao mesmo tempo perfumam o ambiente ao redor. Ah! Claro! Não se esqueça das velas de todos os tamanhos! O clima ficará super aconchegante e intimista para aproveitar cada segundo com a família.

mesarusticanatal1

Para deixar a mesa divertida, no começo do post separei alguns doces e petiscos simples que podem deixar tudo mais alegre. Frutas, formatos e a brincadeira com as cores natalinas, farão a criançada -e os adultos também- adorarem. Ruim é aquela dó de comer algo tão fofo.

Com muitos detalhes e amor, desejo que a preparação para a ceia de natal de vocês seja linda e repleta de carinho. Como em todos os outros dias <3 🙂

Inspirações

> Para se inspirar na cozinha!

29/11/2016

Uma coisa que eu AMO, vocês sabem e, muitos aqui também amam 😛 é: COZINHA. Tudo que envolve o tema desde o preparo, escolha, montagem e a delícia que é comer bem. Resolvi separar alguns blogs de culinária e canais que sempre acompanho por aí. Se quero alguma receita, estes são os primeiros lugares em que procuro 🙂 é garantia de sucesso!

Vamos começar pelo cozinha para Cozinha para dois que já está ai no comecinho do post.

1936381_1143477305697364_6614054616927912503_n

Canal super fofo e com receitas muito práticas para fazer. Recomendo naqueles dias em que bate a preguiça, dá um soninho, você está sem vontade ou não tem lá muitos ingredientes em casa. Você vai encontrar algo delícia para fazer olhando lá 😉 A Carol é um escândalo de criatividade!

Cozinha da Bachcozinhabach

Esse é um dos meus canais preferidos. Adoro a maneira como ela explica cada detalhe e as informações nutricionais de cada prato. Dicas super úteis e funcionais para o dia a dia, mega sem frescura. Além do sotaque super fofs 🙂

Panelaterapiapanelaterapia

Como eu AMO gente que descomplica a vida! Aqui vocês encontram receitas bem tradicionais e de família até algumas mais lights. Adoro a variedade e a frequência dos posts! Dá para se perder com tanta coisa delícia.

Fotografando à mesafotografando-amesa

Putz, gente! Pensa em um casal criativo que cozinham e tiram imagens assim, INCRÍVEIS do preparo de cada receita? Pois é. Confesso, ás vezes entro só para me apaixonar por um macarrão, um bolinho caseiro. E até já chorei, sim – confesso. As trilhas e a fotografia são demais. Além de terem muuuuitas receitas sem carne pra galerê que procura pelo tema 🙂 ENJOY cada vídeo, pois tem coisa nova TODOS OS DIAS. Isa e Felipe, vocês são guerreiros.

Comidinhas da Dianacomidinhasdiana

Não me perguntem como cai do instagram da Fernanda e da Diana, sua filha. Sei que desde então, não sai mais. Apesar de né, não termos babys, eu AMO a maneira como ela aborda a alimentação para família, oferece dicas super práticas para o dia a dia, gente como a gente e saudável. Me inspiro muito em cada dica e post que ela faz. Sempre quando bate um desânimo, penso: “Pela amor de deus, imagina a Fernanda que tem filha” HAHA.

Espero que este pessoal inspire vocês como me ajudam muito no dia a dia – e nem sabem ou imaginam o quanto 🙂

Corrida, Inspirações

> O que mudou depois da rotina de exercícios

03/10/2016

Sempre me perguntam o que mudou no meu corpo desde que começamos a nos exercitar “fielmente”, digamos assim. Confesso que é difícil falar pois não sou das mais ligadas em números como o Fabinho é. Mas, vou tentar.

Desde pequena eu sempre fui muito ativa. Fiz ballet, futebol, danças, ginástica, de tudo. Sempre gostei de me movimentar e sempre fui muito agitada. Quando comecei a trabalhar paguei minha primeira academia, fazia as aulas na medida do possível e a vida seguia. Minha alimentação sempre foi bem equilibrada então, pra mim, estava bão. Nunca gostei de “puxar ferro”, mas com os horários malucos, optei pelo o que era mais flexível. Acredito que depois de um ano e pouco eu parei e, nessa fase foi a que conheci o Barba. Começamos zilhões de planos e pagar uma academia, 200 cacetada por mês, não se encaixava. Embora, HOJE, eu saiba que isso não é desculpa.

Quem acompanhou desde o começo já sabe que foi mais ou menos em Abril do ano passado que nos inscrevemos na academia e foi ótimo. Meses depois começamos a correr e foi mais lindo ainda. A primeira mudança no meu corpo apareceu um mês de academia, quando meu ombro resolveu RESSURGIR. Lembro de meu pai comentar que eu parecida até mais alta, haha, OK. Também me senti muito mais resistente para tudo no dia a dia. Já não era das mais preguiçosas, fiquei mais ligadona ainda. Não me cansava fácil e fiquei raras vezes doente.

Confesso que eu não tinha muito o que DESEJAR mudar no meu corpo com urgência. Minhas palavras exatas foram: Quero condicionamento físico. Eu não queria crescer, nem diminuir. Só queria não ficar ofegante subindo escada. Queria saúde. ÓBVIO, definição seria bacana, um pouco mais de ombro e coxa mais dura não cairia mal. Mas eu comecei com a consciência de que isso é algo a longo prazo.

Abril deste ano resolvemos não renovar. 1- economizar 2- saco cheio de ver um dia lindo de sol trancado em uma sala quente com gente suada. Dei uma breve pesquisada e cai em dois aplicativos que já comentei com vocês aqui.

Muita gente me pergunta se meu peso diminuiu ou aumentou. De fato, perdi um pouco de peso no início (o que não queria) e depois recuperei sem precisar me preocupar. Uma banana a mais aqui, quando dava fome comia mais isso ali e pronto. Também acredito ter sido aquele papo de “perdeu gordura, ganhou músculo”. Me mantive ainda na casa dos 45.5kg. Na época dos treinos para a meia maratona, perdi um pouco. A alimentação tem que ser muito alinhada e a boa hidratação é fundamental. O que sempre foi meu ponto fraco, minha maior dificuldade é beber água. Agora melhorei bastante isso.

Desde que comecei a me exercitar em casa senti uma enorme diferença. Consegui bem mais o resultado que queria visualmente: corpo normal, sequinho e leve definido. Fazer exercícios com peso do corpo, melhorou ainda mais meu cardio, resistência e os benditos agachamentos fortaleceram absurdamente para correr sem deixar fadiga muscular. Resultado: estou correndo muito melhor e com as penas leves. Por conta disso também ganhei 1kg de massa magra, estou com 46.5kg e minhas medidas diminuíram. Perdi 4 cm de cintura. De 65 para 61cm. Pretendo entrar mais profundamente em outro post sobre isso, mas eu e Fabinho diminuímos muito o consumo de açúcar. MUITO. Açúcar é uma droga, todo mundo diz isso e nunca levei tanto a sério. Até começar a correr e notar como ele pesa e deixa o metabolismo podre. Ainda comemos uma coisa ou outra aqui e ali, em família e é raro. Mas procuramos alternativas de muitas receitas com açúcar de frutas e tudo mais. Vamos deixar pra outro post 😛

Acredito que tudo faça parte de um todo. Foi importante fazer academia, foi. Agora estou amando a liberdade de fazer o exercício cedo no quintal ou tarde dentro do quarto, onde for e onde der. É divertido. Atualmente nossa compra do mês vem basicamente da feira o que estou cada vez amando mais. Descobrimos novas farinhas, combinações e nos surpreendemos com sabores.

Ainda bato na tecla que as mudanças foram muito maiores dentro de mim. Mesmo deixando de lado a poesia, é verdade. Estou muito mais aliviada e ZEN. Dou o troféu as corridas. Me sinto bem com meu coração. Sinto que ele está mais resistente. Consigo fazer tudo com MUITA facilidade, ergo umas coisas pesadas que meu pai até se assusta. Não ganhei apenas massa estética, ganhei força funcional. E vocês sabem o quanto eu gosto de não depender de ninguém, hahah.

No final das contas fico feliz pela rotina que estamos conseguindo criar. Ás vezes juntos, ás vezes sozinhos, mas sempre unidos. Nosso planos vem dando um pouco mais certo a cada dia. Me esforço para que nossa família continue caminhando assim: com paz em todos os sentidos.

Fico devendo números mais uma vez, mas é só porque realmente não me apego tanto. Se puder dar uma dica é divirta-se. Pense a longo prazo: no prazer, na liberdade e a sensação de bem-estar e disciplina. Esquece percentual X% de gordura dos famosos, peso X da modelo, cintura W da Sheyla do tchan e tantas gramas de proteína por dia.

Nesse mundo que já nos cobra tanto, vamos aliviar e buscar equilíbrio para o nosso corpo e mente. O resto é consequência. De verdade!

Inspirações, Interiores

> Coisas Novas da nossa Casa

05/07/2016

Sempre comentei com vocês de algumas coisas da casa que ainda precisávamos ajeitar. Quando digo casa, entendam como a edícula, hehe. Ainda estamos planejando a parte da frente para algum futuro. Temos muitos sonhos, muitos planos e, confesso que, acabamos por uma questão de prioridades, deixando a casa um pouco na espera. As coisas tomam forma. É só preciso respirar e entender que tudo tem sua hora.

Detalhes fazem a diferença, todo mundo já sabe. Uma coisa que eu não aguentava mais era ver aquele armário provisório que usávamos ao lado da pia. Ele quebrou um baita galho, mas poxa, como é bom ver aquilo que planejamos no lugar. Esse armário nós encontramos em uma casa que ia jogá-lo fora, acreditam? Nunca fiquei tão feliz por ter gavetas! aahha Mas a história dele eu conto em um outro post 🙂 Por fim, agora ele esta onde deveria estar: encaixadinho e ao lado da geladeira nova que veio para facilitar a nossa vida.

IMG_0140-31

Os vasos estão padronizados, estou fazendo todos em cimento. Já perceberam que adoramos cinza+branco+madeira né? Beleza! Claro que filmei e logo logo esse DIY estará lá no canal <3 Espero que gostem! Eu estou meio viciada, hahah

IMG_0143-34IMG_0141-32  IMG_0158-40

IMG_0159-41

Outra novidade por aqui foi esse conjunto lindo da Pedra Gaia. Quem já nos acompanha desde o início, já ouviu falar dessa loja que sempre foi muito querida com a nossa casinha. Recebemos este  kit completo com os cristais, incenso, base e um guia para meditação. Eu já tive vários modelos de incensário e preciso confessar que este foi o ÚNICO que realmente segurou os farelinhos sem sujar nada. Além de ter esse formato triangular lindo, ele vem com dois incensos muitos delícias – amamos o de canela. Se você gostou, aproveita o nosso código promocional por lá, é: gaiaisa. Acendi no sábado, logo quando colocamos o armário no lugar, espantou o cheiro de verniz e deu boas vindas ao nosso cantinho!

IMG_0160-42IMG_0162-43

Este NEON lindo é da @StoreHouseHomeDecor , uma loja que sou viciada! Queria tudo da loja! A mistura perfeita do minimalismo, aconchego e aff gente, só vendo pra crer. Conheci o trabalho deles pelo @apartamento.33 da Dé do Tudo orna e, como tudo por lá, foi amor. Recebemos este presente lindo para colocar em cima da nossa cama. A palavra que mais define a nossa vida, o sentimento de viver com companheirismo e cumplicidade, que amamos receber as pessoas ao nosso redor. Ainda faltam mais algumas plantinhas e detalhes da lavanderia, que acredito que faremos em breve.

Compatilho sempre no instagram: @ribeiro_isadora e nos snapchat: ribeiro.isadora em primeira mão!

Estas foram algumas novidades! Não vejo a hora de contar e mostrar tudo certinho no tour e por aí. Espero que gostem de acompanhar as pequenas evoluções no nosso cantinho e quem sabe, sirva de inspiração 🙂