Corrida, Inspirações

> MINHA PRIMEIRA MARATONA

10/04/2017

Essa foto foi nos 30km. O dia mais desgastante da minha vida, foi o melhor. Mas, calma, temos muitos km pra contar ainda.

Tudo começou a nem 2 anos atrás quando meu cunhado tinha começado a correr e fez meu namorado se apaixonar também. Não demorou muito para que eu desse uma chance a mim mesma para testar. Hoje, posso seguramente dizer: foi a melhor escolha que fiz para minha vida.

Essa semana passou voando e mexeu muito comigo. Além de estar animada, os dias de TPM são bem dureza na questão psicológica. Pensei, achei que não ia dar, depois pensei que podia e, então na sexta-feira pela manhã, eu decidi que ia fazer dar certo sim. Eu ia.

Domingo de manhã, chegamos na prova e tudo estava muito bem organizado. Acordei tranquila, me posicionei no meu setor e comecei a me alongar. Observava as pessoas ao redor e vi de tudo: altos, pequenos, magros, mais cheios e muitas, MUITAS pessoas de idade concentrados e sentados no beiral da calçada. Olhei uma senhora com seus lá 60 anos e pensei “vou ficar na cola dela, ela sabe o que faz” e a perdi de vista. Às 7:30H, foi hora da largada. Como de se esperar bem devagar e com quase nada de espaço , o que foi bom para manter um ritmo leve e de aquecimento. A maioria quebra na empolgação da saída. Afinal, quando se vai fazer 42km a pergunta a ser feita é: Aguento mais ou menos nessa média até o final? O seu corredor administrador precisará responder. Decidi ir sem pressa. Apenas conferindo no relógio para não empolgar com os gritos e energia tão boa e que nos anima. Logo nos 8km, uma moça parou comigo: “Posso ir com você?” Claro que sim, eu respondi. Ela ia fazer 24km e comentou que estava com receio de não terminar. “Na verdade, você vai correr só 16km agora” eu disse. Ela me olhou sorrindo. Estávamos em um pace bem baixo do que eu queria, mas sentia que a medida que engrenava, ela perdia o controle. Decidi me manter ao lado dela. Fui e peguei dois copos de água, um pra mim e outro pra ela e seguimos. O primeiro anjo no caminho que me fez olhar menos para o chão e mais para o lado. Foquei menos em mim, mais nela e foi lindo.

No 14km um moço de americana chegou em nós também. Contou que ia fazer a maratona e estava com medo de quebrar e não terminar por não conseguir concluir os treinos longos direito. Tentei distraí-lo com outras coisas: Rimos do moço comendo salame, do cara bebendo coca-cola e nos emocionamos com a senhora de 70 anos correndo cantando. Meu único erro, foi não ter perguntado o nome deles. A moça disse que iria segurar e ele, se apressar mais. Espero muito que tenham chegado onde queriam.

No 18km eu me sentia bem. Tinha energia, perna e a cabeça estava boa. Me arrisquei e mandei uma foto para os meus pais que não puderam ir para dizer que estava tudo bem. Mandei um te amo para o Fabinho. Entrei na USP e sabia que ali o buraco já seria mais embaixo. Mas, logo no 21km, conheci a Regiane. “Eu te vi vindo bem e vim atrás de você”. Sério? Ela balançava positivamente a cabeça enquanto comia o gel de carboidrato e me oferecia. Contei que estava comendo de 6km em 6km e agradeci, estávamos no ritmo que eu queria completar a próxima metade da prova. Regiane ia fazer a prova de 24km, contou que fazia triathlon e me indicou exercitar outro movimento nas pernas de tempo e tempo para aliviar o ácido lático. Foi ótimo. No 23km ela sorriu e me disse “Isadora, muito obrigada por me trazer até aqui”. Eu ri e disse que foi o contrário. Ela me olhou e continuou “Você me deu vontade de fazer 42km, mas eu vim com cabeça de 24km e vou quebrar se continuar. Mas, vai com força. Você já enfiou os 42km na cabeça?”. Disse que sim, mas só tinha me dado conta naquele momento do quão puxado seria. Ela apertou minha mão como se acreditasse em mim, saiu para seu sprint final e gritou “24km é a hora do seu gel”. Regiane foi meu terceiro anjo. Ela me deu consciência da força que eu ia precisar.

Dali até os 31km foi quando me senti um pouco mais fraca. Sol, muitas pessoas caminhando e o trajeto sem nenhuma sombra. Foi exaustivo demais, mas não pensei 1 segundo em parar. Olhei no relógio e meu tempo não era o que eu tinha pensado, mas estava no estágio que não percebia que estava correndo, as pernas apenas iam. Acho que Regiane tinha ajustado os 42km na minha cabeça de qualquer maneira. Combinei com Fabinho de que eu iria mandar uma mensagem nos 32km, para dizer como estava. Eu não via a hora de chegar nesse trecho para dizer que estava bem. Peguei meu celular e disse que estava ok e com as pernas um pouco pesadas. Até que escutei um “ISA!!!!”. OXI? Fábio? Esse lado da história do Fabinho vocês verão no vlog.

Dos 32km em diante seguimos juntos. Resolvi diminuir o ritmo por questões de pernas mais pesadas que o normal. Tive muito receio de faltar para os kms finais e comprometer tudo até ali, apesar de me sentir bem e inteira na medida do possível. Fabinho estava bem e animado, embora agora ele me conte que continuou correndo só para terminar comigo e que não estava nos melhores dias. Nos 35km foi quando a maratona oficialmente começou pra mim. Brinquei que não corri 42k, corri só os 8km mais duros da minha pequena vida na corrida. Minhas coxas pareciam ter 10kg a mais, tinha que me policiar para manter a postura e o pace já não me importava: era trote até o fim, contanto que meu relógio mostrasse 42.195km. Neste trecho a maioria das pessoas estavam parando e caminhando, confesso que isso me deu dor no coração. Não importa o tempo de chegada, se você fez 42km, você é um maratonista. Mas, vi muitos chorando, gente com físico muito bem preparado sentado, senhores com passinho devagar animando quem aparentava desistir, pessoas passando mal. Eu sentia minhas coxas bem pesadas, mas sabia que não iria parar ali. Eu pensava no que eu poderia fazer, jogava água, seguia o conselho da Regiane, pensava na mensagem que minha mãe enviou de manhã. Foi duro. Pensei que não ia dar.

Os últimos 2km foram dramáticos, mas os mais especiais. Durante todo o percurso tinham pessoas animando, gritando, aconselhando e ajudando com TUDO o que podiam. Eu me emocionei o tempo inteiro. Gente que não me conhecia, lia meu número de peito e me chamava pelo nome. Gente que sonhou esse sonho como a gente sem nem nos conhecer. Faltando 1km, um moço me viu com lágrimas trancadas e disse “CHORA QUE JÁ É SEU”, desatei a chorar e soltei as pernas. Eu já enxergava o pórtico, minha melhor amiga me esperando de surpresa, meu melhor amigo ao meu lado e eu só conseguia sorrir: nem 2 anos atrás, eu chorava porque não conseguia correr 400m. Olha onde eu tô?! Fabinho abriu os braços e eu o abracei forte. Chegamos onde queríamos e sonhamos juntos.

A maratona foi um processo pessoal, doloroso e especial pra mim. Já não importava mais se eu terminaria ou não, eu tinha aprendido tanto. Eu estava apaixonada pela corrida, mas foi neste processo que realmente virou amor. Parei de me preocupar com números, parei de me cobrar ser 100% sempre, passei a me divertir e entregar o meu melhor de cada dia. Quando terminei minha primeira meia maratona, 1 ano atrás, eu não sabia pra quê correr 42km. Hoje, eu sei. Vivi cada km nesse percurso. Senti cada dor, cada sorriso, cada cansaço e cada lágrima. Não fugi: eu queria viver tudo isso ainda que fosse preciso dar todas minhas reservas e inseguranças. Terminei com mais vida do que nunca dentro de mim. Terminei com fé na bondade das pessoas, terminei com fé em mim.

Este, parafraseando Lucy, foi o melhor dia da minha vida. O primeiro..

Se você gostou desse post, talvez também goste desses:

  • reemonteiro

    eita que eu chorei na chegada, chorei agora no texto, QUERO NEM VER NO VLOG ♥ te amo, você me orgulha e me inspira !

    • Isadora Ribeiro

      miga nois só chora, só ama, só explode, só transborda. te amo muito!! não conseguiria sem você <3 <3

  • Núbia Vieira

    Menina, a partir dos 35km começaram a escorrer lágrimas dos meus olhos! Vontade de sair correndo por aí sem rumo rs. Infelizmente tenho problema nos dois joelhos e não posso me arriscar. Um abraço, estou feliz por você.

    • Isadora Ribeiro

      obrigada flor <3

  • Natália Dias

    Isa, que lindo ler tudo isso! Meus olhos encheram de lágrimas! E meu ânimo segue renovado, mesmo que na minha vida ainda não exista a corrida, seu exemplo ultrapassa a esfera da maratona!
    Obrigada de coração!!

    • Isadora Ribeiro

      que linda flor! <3 sim, aprendi muito sobre a vida na corrida. foi o bem maior que recebi!

  • ai eu chorei lendo esse post, meus olhinhos se encheram de lágrimas!

    • Isadora Ribeiro

      <3

  • Adeline Daniel

    comecei a chorar na despedida da regiane. não parei até agora. parabéns por conseguir e, principalmente, por ter dois melhores amigos tão especiais. são reflexos seu. um beijo.

    • Isadora Ribeiro

      regiane <3 queria tanto encontrá-la de novo! obrigada flor!

  • Melina Alves Melo Costa

    Que lindo, Isa! Mais uma aqui que derramou umas lagriminhas lendo o texto! Parabéns pela conquista e que venham muitas outras!

  • Dayane Oliveira

    Comecei a chorar na despedida da Regiane e perdi o controle no “CHORA QUE JÁ É SEU”, é tanta emoção que nem sei o que falar, desculpa! Já sei que vou desidratar com o vlog hehehe. Sempre soube que você iria conseguir, a torcida foi grande e é grande. Parabéns, Isa!

    • Isadora Ribeiro

      ahahahahaha desidratou? eu desidratei editando, socoooorro!!!

  • Luciana Aires

    E num é assim que é a vida? Mas, ela ninguém avisa a gente do que a gente vai encontrar pela frente. Nisso, você sabia que não ia ser fácil e foi. E viveu cada sentimento – os bons e os ruins, perto de quem você ama. Mas, no fim, só dependia de você. É a vida, e mesmo sabendo, você seguiu em frente com todo o coração. Isso faz de você uma guerreira! Fiquei muito feliz e inspirada com esse texto. Parabéns!

  • Rannyly Yale Fernandes

    Chorei o texto todo. Chorei com os stories do dia e o coração explodiu de orgulho. Parabéns, miga!!!

    • Isadora Ribeiro

      você é lindaaaaa <3

  • Lia

    Isinha, que força a sua! Tô sem palavras de tanta emoção com essa vitória e os anjos que te guiaram. Chorei ao ler suas palavras e sentir sua emoção.
    Continue a correr assim: com o coração pulsando amor! ❤❤❤
    Sou tua fã faz um tempinho, já leio tuas histórias com o ouvido de amiga. A torcida então, nem se fala. ✨

  • Lia Peixoto

    Isinha, que força a sua! Tô sem palavras de tanta emoção com essa vitória e os anjos que te guiaram. Chorei ao ler suas palavras e sentir sua emoção.
    Continue a correr assim: com o coração pulsando amor! ❤❤❤
    Sou tua fã faz um tempinho, já leio tuas histórias com o ouvido de amiga. A torcida então, nem se fala. ✨

  • Oh Isinha sabia que você iria conseguir, você é guerreira, determinada, uma “baixinha” muito osso duro rs Não te vi ali ao vivo, mas com o seu texto consegui sentir um pouco da energia, chorar junto com você e quase sentir o seu abraço na chegada! Você merece flor! ♥

    • Isadora Ribeiro

      obrigada minha querida! por sempre estar aqui e alegrar meu dia com sua energia tão linda <3

  • Bruna Melo

    Esse relato me fez chorar, passou rápido demais parecia ontem que falava sobre a maratona fiquei muito feliz com os stories do insta no domingo, descreveu tão bem nesse texto que me senti lá torcendo e vibrando por você. Estou querendo começar a correr e você é minha inspiração, minha vida mudou desde que conheci seu blog, meu modo de ver a vida é mais leve. Isa, tu merece o dobro de coisas boas que transmite pra nós. Gratidão baixinha, você pode voar mais alto sempre ♥

    • Isadora Ribeiro

      ai bruna <3 que abraço apertado foi esse seu comentário! obrigada, obrigada :') que a gente possa continuar aquecendo o coração uma da outra, ainda que por aqui. Obrigada mesmo!

  • Helenna Pizoni

    Isa, que relato lindoo!!! Acabei de ver o vlog e é de arrepiar! Parabéns por mais essa conquista, a corrida é realmente incrível. Eu já comecei a me aventurar mas sempre acabo parando, e pra recomçar fica mais difícil ne? Participei de uma de 5km só e foi emocionante! Os 42km pareciam inatingíveis mas tu realmente nos inspira a superar limites!!! Nós só temos a agradecer por tu estares por aqui trazendo tanta coisa boa!!!

    • Isadora Ribeiro

      é verdade! parece que a gente desacostuma né? mas é só ir aos pouquinhos e com respeito <3 estarei aqui torcendo!!

  • Miuri Brum

    Nossa… Já li o texto várias vezes e mesmo assim continuo me emocionando… <3
    Que coisa linda… Que inspiração!! 😀