AMOR, Diálogos

> Um problema, dois tipos de pessoas

04/04/2016

Dia desses eu estava meio maluca com tanta coisa para fazer em casa. Celular que toca, computador com email, cachorrada correndo, o outro celular que notifica e a cabeça tentando acompanhar. Eu sempre tive um jeito e tomar conta de tudo ao meu redor. Nada fica por fazer. Eu posso estar um zumbi, dou um jeito e faço – e é na hora. Me faz bem fazer bem a mim e quem está comigo, portanto, não ligo. Eu tenho meu tempo que geralmente é logo quando as coisas acontecem. Almoça e lava o prato, sujou e limpou, caiu e pegou. Nem todo mundo é assim. Bem, você já deve imaginar quem não é. Sim, um barbudo tranquilo, que sabe aproveitar o seu tempo, tirar um cochilo e depois levantar e fazer o que tem que fazer. É, você já deve imaginar: ele me deixa doida.

Eu estou correndo e ele caminhando. Eu sigo planejando e ele dando tempo. Eu busco deixar tudo sempre em ordem e ele sabe que tem horas que não dá. Eu vejo que uma merda vai acontecer e dou um pulo para consertar. Ele? Respira.

Estávamos na mesa da cozinha, ele volta da sua corrida em estado zen e plenamente leve. Põe a água para ferver com seu miojo e senta pra me escutar. Eu sigo contando os compromissos, o email respondido, o convite inesperado, organização da agenda, dando comida pros cachorros, limpo a pia, tiro o lixo, arrumo a mesa…

– FÁBIO, TÁ FERVENDO!

De longe eu podia ver a água borbulhando, miojo subindo, água vazando, macarrões esparramados no fogão…

– FÁBIO, TÁ FERVENDO!

Já estava pronta para pegar um pano pra secar, uma bucha pra esfregar, pensando em fazer outro jantar… mesmo sem nada ter ainda acontecido.

– FÁBIO…

Ele me olha como se nada tivesse acontecendo, vira os olhos e me interrompendo diz:

– Ah, água, né? E desliga o fogão ao seu tempo.

Naquele instante eu pude perceber dois tipos de pessoas. Uma que prevê um problema e corre para ajeitar, outra que espera o problema aparecer para lidar. A verdade é que na vida não existe certo e nem errado. Existe como a gente lida com a gente mesmo. Nunca serei o tipo tranquilo e que não se preocupa e ele, nunca será do tipo prevenido e pronto para lidar com 10 problemas do mundo de uma vez como eu. A única verdade nessa história é que a gente é quem é para aprender um com o outro.

6 anos depois de conhecê-lo e eu ainda faço mil coisas ao mesmo tempo. Prevejo uma explosão de miojo acontecendo, pego o meu paninho e? Respiro, não piro – e essa, eu devo a você: o meu lado mais tranquilo.

Se você gostou desse post, talvez também goste desses:

  • Ah haha que demais, eu li o texto imaginando tudo! Pra quem está vivendo aquilo deve ser tenso (no seu caso), mas pra quem olha de fora é muito engraçado, coisa de filme de comédia romântica sabe?!

    Adoro como você consegue transformar algo do dia a dia em um texto reflexivo que parece script de cinema!

    • Isadora Ribeiro

      Aham, hahahaha <3 Este é o bom de escrever, a gente tem um tempo de pensar e rever tudo e aprender um pouquinho 🙂
      Obrigada pelo apoio!!

  • ahhaha adorei o texto!
    também imaginei tudo. E me vi um pouco nos dois…
    Adorei!
    beijos !

    http://www.jeniffergeraldine.com

    • Isadora Ribeiro

      <3 Que bom! :')

      obrigada flor!

  • Susi Godoy

    HAHAHAHAHA Ai Isa, aqui é idem.
    Chamo ele carinhosamente de “pouca pressa” hahahahahah
    é o equilíbrio
    Muito amor pra vocês, sempre! Saudades.

    • Isadora Ribeiro

      HAHAHAHAHAH adorei o pouca pressa!
      Muita <3 para vocês também! Quero conhecer o pequeno! Já mo as caretinhas dele!

  • Laysla Fontes

    Totalmente real, Isa! Que texto gostoso de ler. Melhor ainda é saber que muita gente compartilha dos mesmos “desencontros encontrados” do dia-a-dia da gente.

    Beijo, bonita!

    Ps.: Eu sou meio Fabinho. Mas, o Bruno é mais (bem mais) ainda.

    http://www.um-traco-qualquer.blogspot.com

  • Evelise Marques

    A única coisa maior que o amor é o respeito, respeitar as diferenças é a forma mais linda de demostrar o amor <3.