Ler & Ver

> Sobre o Livro Correr – Drauzio Varela

08/02/2016

Falar sobre exercício físico não é fácil. Afinal, nas próprias palavras do autor, é um sofrimento que passamos e, somos recompensados apenas ao terminar. Claro que o obstinado Drauzio Varela, não deixaria de tentar te convencer e inspirar a calçar um tênis e sair correndo por aí.

No livro, o médico, apresentador, escritor e youtuber, conta como foi a sua jornada que começou, PASMEM, aos 50 anos de idade, quando encontrou um amigo distante que mencionou as palavras que poderiam colocá-lo para baixo “50 anos é a idade da decadência“, e ele resolveu provar totalmente o contrário. Passou a correr antes do trabalho, no almoço e a dar um jeito de encaixar na sua rotina com cinco trabalhos diferentes.

Para quem interessar, o livro é bem abrangente, teórico e com dados e pequenas dicas técnicas. Drauzio não estava atrás de um corpo ideal, mas de ver o seu corpo funcionando plenamente, para viver a sua vida da melhor maneira possível. Para isso, é preciso suar – e muito. Dividido em pequenos capítulos, devorei em um dia e meio, com textos sobre resistência das articulações, história de corredores profissionais e peripécias vividas. Sem dicas de pós-treino, como ter motivação e arranjar tempo, o autor se faz em palavras diretas, simples e sinceras, resumidas em: quem quer dá um jeito.

Hoje, depois de vinte anos, Drau coleciona maratonas por todos os cantos do mundo ao lado de sua filha, amigos, desconhecidos e sozinho. Tem números surpreendentes para alguém da sua idade, recordes de velocidade que eu, com 24 anos ainda não alcancei. Ele admite que não é correr uma maratona que fará bem a sua saúde, mas apenas 30 minutos de qualquer exercício físico 3x na semana. Mas, caso você seja muito teimoso, você não deixará de tentar correr ao menos uma vez – e viciar.

Correr foi uma das melhores experiências para nós dois. Foi correndo que senti como o nosso corpo funciona e precisa estar sempre em equilíbrio físico, espiritual e da mente. Um almoço exagerado, café da manhã fraco ou pouca água e a corrida não será a mesma. Foi correndo que aprendi que comida é a nossa energia e somos o que comemos, li-te-ral-men-te. Foi suando que senti uma das melhores sensações de fadiga muscular e dores onde jamais imaginei existir, mas foi só assim que encontrei o melhor e mais eficaz ansiolítico de todos. Comecei não esperando nada e para ser sincera, ainda não espero muita coisa. Cada dia acho que não vou conseguir, mas vou mesmo assim. Hoje, correr ao lado de quem amo por cada lugar que visitarmos do mundo, me parece uma ótima ideia 🙂

Não é papo fitness, não é projeto verão, não é pelo corpo perfeito, mas pela vida que desejamos viver – e viver bem.

Recomendo é pouco!

Se você gostou desse post, talvez também goste desses:

  • correr em dupla é realmente bem melhor! fiquei curiosa pra ler esse do drauzio. indico o “do que eu falo quando de corrida’, do haruki murakami, muito bom acompanhar a trajetória dele na corrida, intercalada a algumas histórias pessoais. bjo! http://marianaferrari.me

    • Isadora Ribeiro

      ahhh é demais! Infelizmente durou pouco tempo. Agora vamos cada um pro seu lado, hehe mas é uma delícia também. <3 Ahhh estes dias meu irmão me falou deste. vou procurar 😀 adorei! Obrigada lindona!