CRÔNICAS, VIDA

> Ser Normal não é o nosso Forte

23/11/2015

O dia começou ensolarado. Uma longa espreguiçada entre os lençóis, abrir as cortinas e colocar uma camiseta sorteada: era domingo, mas parecia um dia qualquer. Abro a porta, os cachorros me esperam, roupa para lavar, dobrar, trabalho a terminar e preguiça. Decidimos almoçar em um pequeno café que fica a menos de 2km. Coloco um shorts rasgado, uma camiseta melhor e continuo com a havaiana velha-de-guerra, pois já sei, vamos com a turma toda.
O caminho até lá parece não ter fim. Lucy choraminga na maior empolgação da sua vida, puxando o braço do Barba. Eu, seguro o pequeno-grande menino Ringo que com 4 quilos a menos da irmã, quase me arrasta pela rua. Na esquina, já estou suada, derretida com esse vai e vem de coleiras e um leve mau humor toma conta, “desse jeito vou parecer uma louca na rua, Ringo”, desabafo.
Chegamos, amarramos as coleiras, sentamos na mesa do lado de uma lata de lixo. Imagina a cena. A cachorrada vai, vem, criançada brincando e pais nos olhando. O momento de servir é sempre um grande mini infarto. Os pratos se aproximam, a cachorrada continua deitada. Eu, estico as mãos segurando as coleiras, prevendo um estrago. Bandejas à mesa e UFA! ninguém pulou e deu um radoucken querendo brincar. Peguei os talheres e pensei: Puxa! Até que estamos normais.

Corto o primeiro pedaço de torta e escuto um ESTRONDO. Ai, não. Um cachorro passa ao lado correndo. Ringo esquece por um momento que está preso e corre em direção para brincar, apenas esquecendo da grande lata de lixo ao lado e dá de cara com ela. Todos olham, riem e a gente? Ri mais ainda. Ringo nos olha como se nada tivesse acontecido e come uma folha do meu alface. Lucy segue acreditando que aquele é o melhor dia da sua vida e na volta me presenteia com um mini xixi emocionado nos pés. Barba caminha com um em cada lado, como se tivesse tudo nas mãos – e tinha.

Final do dia me dei conta de que eu vivo com o maior presente: ter ma família que era puramente ela mesma. E, afinal, qual a graça de ser tão normal?

Ser plastificada, sem manchas nas roupas, arranhões nas pernas ou pêlos na calça. Estar impecável, preocupando- se apenas em como se apresentar ao mundo, enquanto por dentro, somos iguais: todos deitamos à noite, olhamos para o teto e desejamos viver em paz. E assim nós vivemos. Temos tudo.

Ontem, um domingo qualquer, pude esclarecer para mim que, realmente que ser normal não é o nosso forte – ainda bem.

Se você gostou desse post, talvez também goste desses:

  • Bel

    Que texto lindo, Isa! É verdade tudo o que você disse. São essas pequenas coisas, esses momentos que mostram que a gente é único e é bom assim porque é a gente e mais ninguém. Você como sempre uma poeta com seus textos, beijos!

    https://oladobeldavida.wordpress.com/

    • Isadora Ribeiro

      Disse tudo Bel <3
      lindo o que escreveu!!!
      beijo imenso!

  • Ai Isa adoro seus textos, sempre me emociono de alguma forma com eles! Você consegue transmitir um sentimento tão família que dá vontade de ser parte da história! Não sei se gosto mais dos seus textos ou dos vídeo!rs

    bjaoo

    • Isadora Ribeiro

      Own <3 fico feliz, pois é realmente essa a ideia e transmitir como foi e me senti. hahahahah espero que não enjoe de nenhummm 😛

  • Gente, que delícia de texto e que delícia de dia.
    Seu blog já me inspira!

    • Isadora Ribeiro

      Que linda fraaannnn <3 obrigada!

  • manie

    que coisa mais linda esse texto ♥
    me lembrou da cena de marley & eu, quando o marley tá amarrado na mesa do restaurante e saí correndo derrubando tudo hahahaha
    saudades do bob (meu cachorro), que sempre me levava pra passear ao invés de eu levar ele. mal vejo a hora de ver ele novamente nas férias.

    beijos!

    http://www.amorquevoa.blogspot.com

    • Isadora Ribeiro

      HAHAH aham! No momento em que ele deu de cara, Barba ameaçou amarrar ele no pé da mesa e eu disse: nanão, hahahahaha

      eles são demais <3 beijo pra ti e no bob!

  • Marcela

    Ai, Isa, vocês conseguem ser mais incríveis a cada dia. Como pode? <3 Eu ri pra caramba com esse texto. E senti uma paz enorme também. Esses momentos são muito bons, né? Dá aquela coisa gostosa de não conseguir conter o riso. Vocês são lindos demais. Sou uma admiradora dessa família. Beijo grande! <33

    • Isadora Ribeiro

      são muito <3 exatamente isso!!!! essa a sensação, hahahah
      Obrigada pelo carinho e uma semana linda pra ti <3 :))

      • Marcela

        Eu que agradeço pelas palavras. Você não sabe, mas você muda o dia das pessoas pra melhor, viu? Obrigada, Isa, uma semana linda procês tudo aí. <3

        • Isadora Ribeiro

          Não posso ler isso na TPM, que linda!!!! :’) <3 eu espero qe sim!

  • Lindo texto! Me identifiquei! Conheci o blog hoje e já adorei. Beijos http://www.diariodedescobertas.com.br

    • Isadora Ribeiro

      que fofa! seja bem vinda <3 😀 obrigada!

  • Giovanna Motta

    Quanta simplicidade nesse texto! No fundo é o que todos nós queremos, ser um pouco mais simples e viver em paz, amei, fez o meu dia! <3

    • Isadora Ribeiro

      amém, é verdade!! <3 fico feliz de ler isso!!

  • Joyce Castro

    miga, ESCREVE UM LIVRO pq tu tens o dom de abraçar as pessoas com palavras!
    <3 carinho de sempre, Joy.

    • Isadora Ribeiro

      OWN <3 <3 <3 sempre muito amada! obrigada pelo apoio!