Entre crônicas, VIDA

> A GRAMA DO VIZINHO: Você não sabe de NADA

02/11/2015

Quem nunca julgou um livro pela capa?
Duro é que nós insistimos em fazer isso com pessoas…

Mesmo não sendo por maldade, quantas vezes nos pegamos vendo alguém caminhando pela rua e pensamos “Puxa, que vida boa aquela pessoa tem“? Muitas. As vezes olhamos feeds incríveis e pensamos que uma pessoa não sofre ou pior, acreditamos que conhecemos a sua vida. A verdade é que muitas vezes aquela única foto publicada no dia, pode ter sido o registro de 1% de coisa boa e sorriso de uma pessoa que mesmo sofrendo quieta, tentou fazer um visitante ter o dia um pouco melhor que o seu e sorrir também.

Para ilustrar, preciso contar algo que aconteceu dia desses na academia. Uma senhora de mais ou menos 60-65 anos vai todo final de tarde com sua legging preta, camiseta cinza, óculos de armação grossa e um cabelo grisalho chanel cheio de charme. Sempre sorrindo, conversando e filosofando da vida com o instrutor, ela parece ser daquele tipo de pessoa que conversa sobre qualquer assunto por horas. Essa mulher é incrível, pensei a primeira vez que a via.
Um dia eu estava péssima, o dia da foto que contei. Tinha acabado de sair de uma consulta que acabou com a minha semana e a senhora do chanel grisalho estava com um novo instrutor. Ele a incentivava a aumentar um pouquinho a carga do peso para um exercício de braço e ela sorrindo desconversava. Enquanto eu meio de longe, estava atenta as suas piadinhas e pude ouví- la dizer com um tom um pouco mais sério, mas não menos querido: Acho que você não sabe, né? Eu tive uma doença e não tenho uma mama, não posso aumentar o peso.

Naquela hora minha reação foi ficar sem reação, por nunca imaginar que ela teria passado por essa situação. Foi quando pude apenas afirmar dentro da minha cabeça que a gente não sabe de NADA. A grama dessa mulher é verde, pois foi cuidada, capinada, suada, sofrida e regada para crescer forte – eu apenas enxergava a capa da sua história de vida.

As guerras que passamos não concorrem com a nossa felicidade, apenas nos fazem mais humanos. Ao contrário do que pensamos, nós não precisamos ter conhecimento de tudo, precisamos apenas não descartar que as lutas existem para todos. A felicidade é uma fração de segundos e, que felizmente, uma foto ou um olhar conseguem captar. Felicidade é como uma batalha com nosso eu que precisamos travar diariamente. Algo que quando a sentimos desejamos espalhar e retribuir. Justamente pela nossa eterna mania de espiar a grama verde do vizinho e pensar que ele não chora no chuveiro. Vou te contar uma coisa: Ele também chora, mas a maneira como reagimos a isso, é o que faz a diferença.

Sempre que possível vejo a senhora do chanel grisalho nos finais de tarde. Nos sorrimos, balançamos a cabeça acenando boa tarde. Viro as costas e só consigo pensar com ainda mais certeza: Essa mulher é incrível !

Que a felicidade continue sendo espalhada em pequenas doses. Não para contar uma vida de faz de conta, mas para nos dar forças para acreditar em um amanhã melhor e mais verde para todos.

Se você gostou desse post, talvez também goste desses:

  • Ale Almeida

    Isa, que texto lindo!! Me emocionou! Obrigada! ♥♥♥

    • Isadora Ribeiro

      <3 eu quem agradeço pelo tempinho por aqui!!

  • andreia .

    Adoro a escrita, a simplicidade, a doçura e a realidade do dia a dia. Que inspiração*

    • Isadora Ribeiro

      <3 <3 <3 que linda!!!

  • Lindo texto. Fico feliz também que o julgamento tenha sido positivo, na grande maioria das vezes quase todos os julgamentos e preconceitos das pessoas são negativos….:/

  • Pingback: Links da Semana #3 - No plastic life()

  • Pingback: Favoritos dos últimos tempos #2 | Teoria Criativa()

  • Rejane

    Que texto ótimo =D.
    Lembra muito uma frase, que eu não lembro a autoria, mas que eu vi num vídeo da Flavia Melissa que diz que a gente compara os nossos bastidores com o palco da outra pessoa. Que comparamos toda a nossa complexidade, tudo o que a gente é só com a parte “boa” que a pessoa está mostrando ao mundo e que, assim como a gente, ela é muito mais do que aquilo que a gente está vendo.

    • Isadora Ribeiro

      é exatamente isso! 😀 PERFEITO.

  • isadora_c

    Obrigada por isso. Era exatamente o que eu precisava ler hoje!

    • Isadora Ribeiro

      que linda! fico feliz <3

  • Marcela

    Para mim o ser humano incrível e especial é exatamente assim: cai e levanta, suja e limpa, literalmente ou não, chora e sorri da tristeza ou deixa pra sorrir depois (porque tem todo o direito!) e por todas as suas contradições. Gente de verdade é tão mais interessante! E você é assim, Isa. Seus vídeos e textos fazem a gente se sentir em casa. Não tem máscara encobrindo. Dá até pra sentir de longe quando você não está bem, apenas pelo vídeo ou maneira de escrever. Dá para sentir quando você está radiante de felicidade (tanto que o sorriso aqui é inevitável e dá vontade de abraçar a tela). Queria ser sua miga de verdade. Hihihi. Dá cá um abraço, sua linda. <3 E perdoa o textão meloso, hahaha.

    • Isadora Ribeiro

      ISSO <3
      definiu perfeitamente 🙂
      já somos! beijo imenso e obrigada por isso!!!

  • Que post bonito! É uma reflexão constante que precisamos fazer mesmo, e sinto que especialmente com as redes sociais, quando é tão mais fácil só ver a grama verde e esquecer de ter empatia.

    • Isadora Ribeiro

      Obrigada paula!!! sim, mas a gente consegue :)))) <3

  • Marina

    Que coisa mais linda! Parabéns por esse post. Realmente, muito obrigada por isso hahahaha 😀

    • Isadora Ribeiro

      Obrigada Marina <3 feliz que também fez sentido pra você 😀

  • Ana Júlia Vergueiro

    Posts e compartilhamentos tão doces…como não ter ao menos um momento feliz a cada dia com uma coisa postada por ti, Isa? Obrigada por tantas coisas lindas que você compartilha com a gente. Um beijo enorme <3

    • Isadora Ribeiro

      Ahhhh sua linda <3 obrigada pelo comentário cheio de carinho!!! um beijo e uma semana incrível!!!

  • Ana Carolina

    To apaixonada pelo seu blog <3 parabéns pelo seu jeitinho e por tudo que faz com tanto carinho aqui

  • Pingback: Favoritos dos últimos tempos: racismo, cinema e mulheres que você precisa ler | Teoria Criativa()