VIDA

> A GRAMA DO VIZINHO: Você não sabe de NADA

02/11/2015

Quem nunca julgou um livro pela capa?
Duro é que nós insistimos em fazer isso com pessoas…

Mesmo não sendo por maldade, quantas vezes nos pegamos vendo alguém caminhando pela rua e pensamos “Puxa, que vida boa aquela pessoa tem“? Muitas. As vezes olhamos feeds incríveis e pensamos que uma pessoa não sofre ou pior, acreditamos que conhecemos a sua vida. A verdade é que muitas vezes aquela única foto publicada no dia, pode ter sido o registro de 1% de coisa boa e sorriso de uma pessoa que mesmo sofrendo quieta, tentou fazer um visitante ter o dia um pouco melhor que o seu e sorrir também.

Para ilustrar, preciso contar algo que aconteceu dia desses na academia. Uma senhora de mais ou menos 60-65 anos vai todo final de tarde com sua legging preta, camiseta cinza, óculos de armação grossa e um cabelo grisalho chanel cheio de charme. Sempre sorrindo, conversando e filosofando da vida com o instrutor, ela parece ser daquele tipo de pessoa que conversa sobre qualquer assunto por horas. Essa mulher é incrível, pensei a primeira vez que a via.
Um dia eu estava péssima, o dia da foto que contei. Tinha acabado de sair de uma consulta que acabou com a minha semana e a senhora do chanel grisalho estava com um novo instrutor. Ele a incentivava a aumentar um pouquinho a carga do peso para um exercício de braço e ela sorrindo desconversava. Enquanto eu meio de longe, estava atenta as suas piadinhas e pude ouví- la dizer com um tom um pouco mais sério, mas não menos querido: Acho que você não sabe, né? Eu tive uma doença e não tenho uma mama, não posso aumentar o peso.

Naquela hora minha reação foi ficar sem reação, por nunca imaginar que ela teria passado por essa situação. Foi quando pude apenas afirmar dentro da minha cabeça que a gente não sabe de NADA. A grama dessa mulher é verde, pois foi cuidada, capinada, suada, sofrida e regada para crescer forte – eu apenas enxergava a capa da sua história de vida.

As guerras que passamos não concorrem com a nossa felicidade, apenas nos fazem mais humanos. Ao contrário do que pensamos, nós não precisamos ter conhecimento de tudo, precisamos apenas não descartar que as lutas existem para todos. A felicidade é uma fração de segundos e, que felizmente, uma foto ou um olhar conseguem captar. Felicidade é como uma batalha com nosso eu que precisamos travar diariamente. Algo que quando a sentimos desejamos espalhar e retribuir. Justamente pela nossa eterna mania de espiar a grama verde do vizinho e pensar que ele não chora no chuveiro. Vou te contar uma coisa: Ele também chora, mas a maneira como reagimos a isso, é o que faz a diferença.

Sempre que possível vejo a senhora do chanel grisalho nos finais de tarde. Nos sorrimos, balançamos a cabeça acenando boa tarde. Viro as costas e só consigo pensar com ainda mais certeza: Essa mulher é incrível !

Que a felicidade continue sendo espalhada em pequenas doses. Não para contar uma vida de faz de conta, mas para nos dar forças para acreditar em um amanhã melhor e mais verde para todos.

Se você gostou desse post, talvez também goste desses: