RECEITINHAS, VIDA

> O dia mais feliz do mês

18/08/2014

Todo mês tem o seu dia mais feliz, coisa que é impossível de se prever. Mas, eu tenho pelo menos um dia que com certeza é sempre o mais especial pra mim. Ás vezes a gente adia, nem sempre é de 30 em 30, nem sempre tem lista, não é sempre com toda a vontade do mundo e muitas vezes é bem justinho que passa o valor no cartão. Mas, ainda sim é daqueles dias em que os olhos ficam marejados e sorrimos com o pâncreas por dentro. Dia em que as lágrimas de alegria aparecem, mas só pra dar um brilinho nos olhos que transbordam aquele sentimento de plenitude: é dia de compra do mês.afterlight-3
Pra muitos um dia comum, um dia até de mais um afazer de casa que alguém podia fazer por nós – e que aliás, até fazem e entregam na porta da casa, uma graça! A graça MESMO é o carro estar quebrado a 2 meses e irmos lá a pé com carrinho capenga, caixa, caixote, bicicleta, sacola reciclável e tudo mais. Mas, vamos. Rimos de lá até cá. E até fazemos rir algumas pessoas dentro do carro parados no trânsito da praça panamericana que provavelmente estão pensando: Que família buscapé! E tudo bem, meu amigo, nós somos mesmo.

Carregar todo o peso com aquele sentimento de que sim, somos abençoados e, infelizmente nem sempre nos damos conta do quanto e só empurramos pra dentro o que tem no prato. Minha memória não é das melhores, mas me lembro bem dos momentos quando pequena com meu pijaminha de ursinhos, levantar pela manhã, caminhar até a cozinha e enxergar uma caixa de leite na mesa: era motivo de uma oração de meia hora. Tempos difíceis, mas que me deram valores pro que como, pro me que alimenta, pro que sustenta o corpo de quem vive do meu lado e eu só quero bem. Alimento que reúne, celebra, traz afago e lembranças de infância: o chocolate que nos engorda, a fruta que emagrece, a fibra que regula e a água que equilibra o espírito. Aquele arroz e feijão que nos mantém de pé pra aguentar as pancadas do dia a dia, o calor que nos abraça no fim de um dia pesado em forma de sopa quentinha, o brownie-amor que mata minha TPM e dá um pouco de paz pro meu namorado paciente ou o dia em que só nos damos ao luxo de comer, comer e comer de gula e por puro prazer. Prazer que na verdade, é um presente.afterlight-2
E foi neste caminho com um sol dourado e lateral que eu só conseguia agradecer, agradecer e agradecer. Coisa boa ter momentos ricos assim: de ter o privilégio de comprar o sustento pra nos fortalecer e de dividir a vida com alguém que não se importa de ter problemas e empecilhos no caminho, mas que foca em achar uma solução para vivermos momentos como este – mesmo ele nem imaginando que tudo isso passava dentro de mim, me abraçou no farol e disse sorrindo: Tá feliz né, baixinha? E eu estava, com tudo de mim.

O dia mais feliz, pra mim, é sentar e agradecer em frente ao meu pão com manteiga e café com leite, por mais este presente que é poder viver, com a barriga quentinha. É o que desejo para todos sempre, amém.

Se você gostou desse post, talvez também goste desses: