AMOR, Diálogos

> O velho mas tão novo amor no ônibus

02/10/2013

Hoje, um dia comum, eu entrei no 847P-10 pra voltar pra casa. Sentei no ônibus e um casal de velhinhos entraram. Ela com um vestido florido e longo com sua bolsinha de couro preta nas mãos. Ele com sua boina que tinha um pequeno furo na frente e uma calça azul marinho.
A senhorinha se senta na minha frente no banco que estava livre e o senhorzinho fica ao lado dela, em pé no corredor segurando sua mão bem forte e fica daquele jeito típico “surfando” no busão. Eu, um pouco intrometida falei:
– Senhor, tem um banco ali do outro lado vazio, não sei se você viu…
Ele olhou pra mim e gentilmente disse:
-Vi sim, obrigado!

Logo depois completou sorrindo e erguendo as sobrancelhas:
– Você acha mesmo que eu poderia deixar uma mulher como essa sozinha? Mas, não pode não viu!?

Eu sorri. E não conseguia mais parar de sorrir.
A moça sentada ao lado da senhorinha fez questão de levantar e dar seu lugar para ele sentar. Embora, ele sem graça disse que não precisava, ela insistiu, também não conseguindo parar de sorrir.

A senhorinha muito meiga virou para mim sorrindo, com o riso sereno muito semelhante ao do senhorzinho, e disse:
– Ele é mesmo muito engraçadinho.

E ele mesmo sentado, continuava a segurar forte a mão dela. Para não deixá-la fugir, parecia. Ou apenas a amava demais mesmo. E provavelmente assim ficaram, até chegarem ao destino deles.

E eu com o sorriso pregado na cara, balancei a cabeça e levantei para descer no meu ponto. Desci a rua de casa, ainda pensando como seria bom encontrar aquele casal e perguntar tantas e tantas coisas que imaginei. “Quanto tempo estão casados?”, “Como você conheceu seu marido?”. Parecia um filme, não daqueles com príncipes ou com a manteiga doriana na mesa. Era mesmo a vida, simples e doce vida daquele casal. Já não importava se eram marido ou esposa ou se ele ajoelhou para pedir ela em casamento com o pôr do sol no fundo.
Eles eram parceiros, parceiros de vida. Dava pra sentir.

Abri a porta de casa, sorrindo e digitei este texto, ainda sorrindo.
E espero que você que esteja lendo, permaneça sorrindo também.

Se você gostou desse post, talvez também goste desses:

  • Ana Luiza

    Sorrindo e chorando. Lindo de viver!

  • Pati

    Sorrindo e com lágrimas nos olhos… :‘-)

  • Carlinha

    Muito lindo!!!! Isso que é parceria!!!!!! Engraçado que hoje eu vi um vídeo inspirador sobre o amor verdadeiro de um casal que permaneceu juntos por 75 anos, até que a morte os separou. Chorei horrores!!! Vale a pena conferir: http://www.youtube.com/watch?v=04WvMQmBZM8

  • Dani Burman

    Sorrindo e com os olhos marejados!!! Amo velhinhos e suas histórias!! <3