Playlist

> Playlist: QUE VIBE BOA!

22/08/2016
Processed with VSCO with a6 preset

Se tem uma coisa que muda o dia da gente é a música. Separamos algumas músicas que nos fazem parar e pensar instantaneamente “QUE VIBE BOA!” e você começa a dar aquela pseudo dançadinha. 😀

Estava programando montar essa playlist para semana passada, mas meu companheiro de vida estava viajando e ele é a memória boa do casal, hahah. Precisava da mãozinha dele para montar. Para ouvir é só dar o play aí embaixo ou clicar aqui. Segue a gente por lá também!


Espero que sintam o mesmo aí 😀

Diálogos

> Você não precisa ser perfeita

15/08/2016
I+F-43

Todo mundo sabe mas, a gente insiste em esquecer disso.

Eu nunca fui das que mais se cobrou para estar sempre visualmente impecável. Com certeza por ter crescido em uma casa que não me criaram para ser princesa, mas para bater perna no mundo. Ainda assim, dia destes, fui gravar um vídeo para o meu canal do youtube. Terminei, gravei, bateu aquela sensação bacana de que sim, talvez eu possa ter contribuído para alguma coisa boa para alguém. Fui assistir e conferir para ver se estava tudo ok com o material e… desisti de postar.

O motivo? tenho dois dentes da frente que vou precisar corrigir, devido ao dente do ciso que começou a querer nascer. Abri o vídeo e só conseguia ver isso. Só. “Não vou postar”, eu disse em voz alta. Barba ao meu lado perguntou o porquê e o que estava acontecendo. Tentei explicar e nem percebi que soltava aquela voz de vergonha, de quem não se orgulha, de quem se esconde, “só consigo ver essa droga de dente”, disse deitando entre as almofadas. Eu sei quando ele fala algo bem sério e não é a primeira vez que ele diz isso pra mim, olhando fundo nos meus olhos:

– Isa, você não precisa ser perfeita.

Quando não consigo lidar com tudo e mesmo assim termino o dia esgotada, eu sei, não preciso ser perfeita. Quando não dou conta de viver, administrar o trabalho, estudar, ser filha, esposa, amiga, dona de dois viras, me sentir bem, eu sei, não preciso ser perfeita. Infelizmente, o mundo nos diz o contrário.  Ainda mais quando se trata da nossa imagem, a casca que carregamos que precisa estar sempre intacta aos modelos e padrões. As vezes, quase sempre, a gente precisa parar e se lembrar que somos humanos e não feitos para sermos programados e moldados. Antes de aparecer a culpa, com aquele sentimento de insuficiência e uma onda de sentimentos por conta de uma palavra, que muitos interpretam como adjetivo e elogio lembre-se de quem você realmente é. Isso é lindo.

Aqui, eu nunca ouvi que eu era “perfeita pra ele”, “perfeita em meu jeito”. A palavra perfeição e, consequentemente, a culpa, simplesmente não existe no vocabulário dele. Não é por falta de grandes declarações, mas pela mera realidade de gerar essa cobrança que ninguém precisa carregar. Precisamos melhorar? sempre e muito, ainda mais por dentro. Porém, nunca, NUNCA, deixar de fazer algo. Eu jurava que tinha me livrado disso, dessa ideia de não fazer ou viver apesar dos meus defeitos. Pelo visto isso é algo que, diariamente, a gente precisa se policiar e lembrar. Precisei gravar aquele vídeo pra isso.

“Você não precisa ser perfeita”, não é a primeira vez que ele diz pra mim.

Talvez eu precise ter esse diálogo e repetir isso para eu mesma. Talvez não, com certeza.

Todo mundo sabe mas, a gente insisti em esquecer disso. Achei que deveria lembrar você por aqui também. VAI QUE você esteja em um dia que também precise.

CRÔNICAS, VIDA

> É preciso um bocado de tristeza

09/08/2016
luz que abraça alma. é de casa

Um dia, alguém cantou “mas para fazer um samba com beleza, é preciso um bocado de tristeza”. O único verso repetido. Não foi à toa não.

Muito fala-se sobre a felicidade, simplicidade e a leveza para viver. Busca-se muito esse trio para ter uma vida mais tranquila e serena. Também não é à toa. Na rotina e ritmo sem freios que optamos muitas vezes por caminhar é preciso todo este trio maravilha pra aguentar.

Para isso já preparam aquela lista que vai daqui até o Japão do que você precisa fazer: não comer carne, viajar 3x no ano, comprar roupas assim e assado, não usar isso ou aquilo, escutar tal cantor, fazer yoga ou pilates, surfar, ler X e Y livros, aplaudir o pôr do sol. Mais uma vez somos pegos pela armadilha do ser humano: A arte de começar tudo de fora para dentro.

Não é de se surpreender, afinal são anos e anos vivendo em um mundo que nos julga pela aparência, quer aprovar as decisões que tomamos, as roupas que vestimos e o rótulo que acreditam que precisam nos dar. Então, esquece tudo isso. A questão não é do que vá “funcionar”, mas de não precisar se tornar quase um personagem – pois parece que é o que querem de nós. Se é que posso dar um conselho, ele é breve: Respire e se escute. 

A vida é um processo. Daquele que não existe regra ou molde e, mesmo sabendo disso, até insistimos na boa intenção em indicar o que nos faz bem, mas é importante não esquecer que cada um é cada um. E é preciso saber quem a gente é pra gente.

Cada um é um mundo.

Cada um tem aquela pitada que só a gente sabe como é duro de conviver com ela. Aquele defeito que aturamos com dificuldade. Cada um tem de vez em quando aquela sensação de que se está deslocado no mundo e não fazemos parte de nada. Cada um tem um momento em que é preciso se retirar, silenciar ao redor para conseguir ouvir dentro de sí. Cada um tem os seus medos, mais bizarros ou até os que fazem sentido para outros. Cada um tem os seus demônios para aguentar. Todo mundo.

Cada um tem a sua corda bamba para se equilibrar. Cair, levantar e retomar.

Quando a gente retoma e se reequilibra, quantas vezes forem precisas, a felicidade vem. A felicidade é um instante. O momento em que tudo esta em sintonia à maneira de cada um. Por isso, não é à toa que a queremos tanto: Alegria é a melhor coisa que existe. Diferente da tristeza, não precisa repetir duas vezes este verso – todo mundo sabe.

É por isso que a danada é uma conquista diária. Um bocado de alegria, entusiasmo, drama, suspense, medo, riso, solidão e a tristeza. Somos um mundo de sentimentos em equilíbrio. Felicidade é parte de um todo. Se tirar a tristeza é impossível reconhecer a alegria.

Vinicius tinha razão: um samba com beleza, tem que ter um bocado de tristeza. Um bocado.
A alegria vale a pena.

Está tudo bem estar triste. Tá tudo bem sentir o que for preciso, contanto que se sinta e viva sendo o que você é. “Respire e se escute”. É preciso repetir não duas vezes, mas toda hora e todo dia.

Interiores

> MMM: Design Weekend em SP

08/08/2016
IMG_6312-30-30

Uma das lojas de decoração mais amor dessa internet é a Meu Móvel de Madeira. Adoramos cada móvel, detalhe e objeto de decoração. Ontem, no domingão, fomos dar uma conferida nos ambientes que estão fazendo parte desta edição do Design Weekend.

IMG_6299-24-24O DW é o maior festival de design da América Latina com circuitos de exposições incríveis. O que mais gostei foi o conceito de ilustrar as diferentes fases da vida em um espaço. Provando que não é preciso mil metros para ter uma casa bem decorada.

IMG_6269-1-1Vamos lá! Este é o início e de cara vemos um quarto de solteiro com toques de cor vivas e neutras e móveis bem pensados para otimizar o ambiente pequeno. Amo o jogo de cores e a escada que faz um varal com fotos de amigos, é um traço muito marcante da adolescência, fase em que onde colecionamos memórias e laços divertidos. Meu ambiente preferido! Amaria ter vivido neste quarto. O que é essa cama? Fala sério!

IMG_6283-13-13 IMG_6284-14-14IMG_6286-16-16IMG_6285-15-15 IMG_6304-26-26O segundo momento já representa o começo da vida a dois. O ambiente transmite simplicidade em cada móvel com cores brancas e madeira crua, uma sensação de aconchego surreal. Fiquei enlouquecida pelas mesas de cabeceira e a arara. O banquinho com almofada estampada dá um toque descontraído. Afinal, uma mesinha de apoio ou para salvar o trabalho às vezes é bem necessária.

IMG_6301-25-25 IMG_6276-7-7IMG_6288-18-18IMG_6282-12-12IMG_6280-10-10
O terceiro ambiente ilustra o momento em que aumentamos a família e buscamos conforto em cada detalhe. Um sofá de três lugares e o belo aparador para reunir a família e ver um filme, é o melhor programa. Até o puff estampado traz a ideia de que “sempre tem lugar pra mais um” neste lar. Tirando o sofá, porque né, vocês já sabem da nossa paixão por sofá cinza, o que mais me apaixonei foi esta cama super bem planejada. Além do tom lindo de madeira é possível guardar uma porção de coisas úteis no dia a dia e, que farão parte da decoração.

IMG_6270-2-2– detalhe para o Barba jurando estar em casa –IMG_6293-21-21 IMG_6314-31-31 IMG_6297-23-23IMG_6274-5-5

Esta exposição do Meu Móvel de Madeira, estará lá no Conjunto Nacional em São Paulo até o dia 14 de agosto. Aberta das 09h às 22h, com entrada gratuita. Você pode concorrer a brindes e se inspirar para deixar o seu cantinho ainda mais lindo.

Espero que gostem também 🙂

Dia a dia, foto e poesia, Fotografia

> Pedaços + Momentos: Agosto de nós

02/08/2016
aIMG_0371-1

É, gente! Agosto começou. Mês 8 de 12 do ano. Bizarro de pensar.

Não sei pra vocês, mas aqui o ano está voando mais que o normal. Escrever isso me faz lembrar de muitos dias que passariam uma eternidade. Tudo faz parte de um todo, né? Minha mãe e meu pai sempre diziam para aproveitar a vida, principalmente até os 18 anos. Depois dos 18 anos a vida samba e passa em frente o nosso nariz. É bem verdade! Pra mim foi até um pouco antes, quando comecei a trabalhar fixo com 16 anos. Hoje, quando a vida pensa em acelerar, eu puxo minha cadeira e sento. Se ela não quer parar, eu quero e preciso. Reza a lenda que agosto tem 365 dias, tempo de sobra pra nós 😛

"Sonhar alto. Sonhar leve" @laradias escolheu as palavras chaves para nosso agosto. Não é preciso esperar o começo, nem o fim do ano pra sonhar. Sonhar hoje.

Agosto começou com mudanças em nós. Uma onda de planos, receio dos novos passos e uma dose a mais de paciência para aguentar o que vier. Paciência vem sendo algo que tenho buscado exercitar muito. Algo que também requer tempo que nos presenteia com a maturidade. Também é necessário ter paciência para trabalhar a paciência, lindo né? Enfim! Até lá a gente vai se descabelando com coisas que não precisa para rir de sí mesmo alguns meses depois, hahah

IMG_0435-13
Lucy e Ringo que o digam. Ringo já está ficando com cara de adultinho. Na verdade, ele nasceu velho, convenhamos. Preguiçoso e economiza movimentos. Lucy, por mais calma que esteja, ainda é a rainha da alegria e movimentação da casa. Nosso plano de pegar um irmão para ela se cansar, não deu cem por cento certo. Mas, irmandade, eles levam essa palavra a risca.

IMG_0427-7Cópia de IMG_0342-1IMG_0075-20
Estou correndo atrás de tudo para a Nossa Loja. Agora no começo serão produtinhos para casa e decoração, mas tenho muitas ideias 🙂 Tudo com muito aconchego, leveza, simplicidade e valor artesanal. Eu já tinha me esquecido como dá trabalho montar um site e toda estrutura!

IMG_0434-12
Colocamos algumas plantinhas no nosso quarto. Como elas faziam falta! Os vasos de cimento eu ensinei fazer neste vídeo. Os suportes são da Helebora e da Use pots. O filtro dos sonhos maravilhoso é da StoreHouse . Nosso quartinho também está ganhando alguns detalhes a mais. Mas, mesmo que não esteja terminado, vamos postar o tour pela nossa casa no final deste mês 🙂 Já comecei a filmar alguns detalhes. Espero que gostem! IMG_0431-10 IMG_0429-8
Estou planejando uma horta pra nossa casa, com algumas folhas e tudo mais. Ainda não providenciei nada, estou lendo tudo direitinho. MAS, comecei a tentar plantar o alho. Olha alí! Vamos ver se brota algum desses dois gominhos? Espero!

Já segue a gente no instagram? @ribeiro_isadora , @melhordiadanossavida e @barba_gomes

AMOR, CRÔNICAS, Diálogos

> A VIDA COM OUTROS OLHOS

01/08/2016
E foi. todo dia. uma vida, de cada vez

Era um dia comum. Nem tão comum assim, pois um pôr do sol incrível misto de amarelo com roxo estampava o nosso céu. Barba e eu andávamos de bicicleta em um passeio normal. Ele ia na frente e eu atrás contando as coisas da vida. Eu, no meu costume hippie de ser, ao ver aquele pôr do sol, gritei: Vamos ter que parar para ver. Até apressei a pedalada para não correr o risco de perder o caminho que o sol fazia ao trocar de lugar com a noite. A beleza era de dar fôlego – pedalei ainda mais rápido.

Estacionei a bicicleta em um ponto que considerava com melhor visão. O ângulo ideal, alinhado e bem limpo. Eu olhava fixamente para o céu com suas cores gritantes e que quase arrancavam uma lágrima. O contorno dos prédios, os carros, o fluxo da vida parecia uma maquete. Ele olhava para o outro lado. O contorno dos troncos de uma árvore que peneirava o sol.

Neste momento, senti o silêncio: o meu e o dele. Aquela confusa sensação de que nunca saberemos 100% o que se passa na cabeça de alguém, pelo simples fato de querer entender o que no outro se esta passando e pensando. Estávamos sorrindo por dentro, isso eu poderia sentir.

Eu e ele, somos uma coisa só. Como uma camiseta que para vestir com a modelagem ideal tem em cada corte objetivos definidos e certeiros, cada ao seu lado. O avesso e o aparente: duas coisas diferentes, necessárias e que cumprem a mesma função.

Apanhei a bicicleta e seguimos a volta que ainda era abençoada com aquela vista. Com os olhos saltando para fora, eu disse:

-Amor, olha alí!

-Olha lá! O reflexo da luz nos prédios…

E eu ajustei o meu ângulo para ver com os olhos dele. A fileira de prédios ao lado daquela enxurrada de cores. As grandes janelas de vidro recebiam o reflexo de uma luz dourada que parecia rastro do outono que já passou. Sorri pra ele.

Dizem que devemos amar quem não quer nos mudar, mas acredito que o amor seja ainda mais simples. O amor vê oportunidades.

O amor tem prazer em enxergar o diferente, a mudança, o que não é igual ao nosso mundo. O amor vê ali uma oportunidade de aprender, em somar e contribuir. O amor nos tira da nossa zona de conforto, nos faz crescer, arriscar, mudar o ângulo e ver. Ver muito além.

Muitas vezes batemos na tecla de que é difícil lidar com as diferenças das pessoas e, eu não digo que não é – realmente é. Mas, digo que há beleza. Há beleza além do que podemos ver, entender ou enxergar. Há beleza e um mundo novo de descobertas e maneiras de ver a vida, através de outro alguém. De outra vida. Do mundo. De um amor.

No final deste dia, eu sorria. Agradeci por ter a chance de poder ver a vida através dos olhos de quem eu amo, convivo e divido a vida.
Na rotina, em um dia comum, os céus podem nos surpreender. Entretanto, é preciso dar chance para enxergar por outras direções também. Vale a pena.

CRÔNICAS, VIDA

> Para quem desacreditou da bondade no mundo

26/07/2016
Processed with VSCO with t1 preset

Escrever no passado vai parecer que esta história é antiga, mas aconteceu poucos dias. Era uma noite fria em São Paulo…

Nem sempre a gente acorda acreditando nas pessoas.

Nem sempre a gente tem fé que o dia vai ser belo. Pior, às vezes, a gente não consegue aceitar as mínimas coisas boas da vida como ter um chuveiro quente e uma cama macia para agradecer. Queremos mais, o que não temos. Nem sempre a gente tem esperança. Nem sempre a gente consegue ter forças para crer que o amanhã será melhor.

Estava em alguns dias assim. Cansada da falta de compreensão e quase nada de respeito. Cansada de ver o mundo virando de ponta cabeça e chacoalhando. Mundo onde vivemos desconfiando de tudo e todos e é difícil crer na gentileza e tolerância. Um mundo em que custa crer que é habitado por seres, realmente, humanos. Cansada de tentar fazer algo. Cansada.

Ninguém se orgulha, mas, às vezes, a gente acorda assim.

Era nove da noite e Fabinho foi na padaria, eu trabalhava no computador com fones de ouvido. Apenas ouvi o estalo da nossa porta antiga quando ele a abriu e pronunciei as palavras: E QUE RAIO É ISSO?

Estranhei ao vê-lo entrar com uma panela e um pano de prato enrolado na alça.

-A vizinha nos deu sopa! Ele me contou todo feliz e com o olhos tão surpresos quanto os meus deveriam estar.

Revivi. Era uma noite fria, eu já disse. Mas, pude sentir o meu coração aquecido de humanidade, fé e esperança. Sem mais, nem menos, alguém nos fez bem. Uma lágrima quietinha parou nos meus olhos quando provei. Nunca imaginei que louro combinaria tanto em uma sopa. Nunca imaginei que alguém poderia mudar meu dia sem me conhecer.

Era “só” uma sopa. A sopa de alguém que recém chegou no bairro e não nos conhece bem, mas nos deseja bom dia, boa tarde e boa noite todo dia. Hoje sei que não era por educação, Bia.

Bia queria realmente nos ver bem. Não precisou mudar o mundo todo pra isso. Fez o que pode, como pode e ao seu redor. Sem imaginar, ela me fez crer que amanhã será melhor, por ter fé que posso aquecer o coração de alguém da forma que eu puder, assim como ela fez.

O mundo ainda é feito das pequenas coisas – que eu ainda não sei por qual razão as chamamos de pequenas, se são tão grandes.

Se você acordou em um dia em que está difícil acreditar na bondade, te conto hoje sobre a Bia. A cada dia, conheço uma diferente por aí. Você também deve conhecer. Você pode ser uma Bia para o dia de alguém também. Vale a pena dividir o mundo com gente assim.