CRÔNICAS, VIDA

> Somos todos esse turbilhão

21/03/2017

Às vezes a gente some porque precisa. Às vezes até estamos aqui, mas presentes em outro lugar. Às vezes cansamos e desistimos. E em outras vezes damos até a energia e força que não acreditamos ter. Às vezes não encontramos palavras à altura de um momento e, em outras vezes nos atrevemos a chegar perto de descrever o indescritível. Somente por querer fazer a rotina ganhar uma chance de ser narrada com tanta beleza também.

Às vezes qualquer coisa, ocasião ou piada besta nos tira uma gargalhada. Em outros dias, nem que nos paguem é fácil mostrar os dentes. Alguns dias são azuis e tristes, outras tardes são cinzas e cheias de amor. Tem horas na vida em que nada faz sentido e tem dias em que a gente não quer saber o motivo de nada. Às vezes a segurança salta e brota de dentro de nós. Em outros dias, ela vem de alguém e contagia e impregna na gente – ainda bem.

Às vezes a gente sabe bem o que, como e onde quer. Em outras épocas, vale consultar o amigo, buda, pai, mãe, tio e avó para o que devemos fazer. Tem dias que falamos com todos, outros que mal nos damos bom dia ao acordar. Dias de carona para o amigo, dias de pressa para o café e outros dias de voltar caminhando e admirando sem saber bem o quê. Tem vezes que o amor está bem e por outras, infelizmente, vai mal. Mas a vontade de acreditar, ela nunca morre ou falha… Ah! mentira. Todo mundo em algum momento ou instante que deixa de acreditar. E segue amando. Mas, ó, é só de vez em quando.

Às vezes é difícil acreditar que todo mundo vive esse turbilhão de emoções prestes entrar em erupção em que vivemos. Aquela colega sempre maquiada e bem produzida do trabalho, o amigo que só viaja e a vizinha que tem um casamento estável de mil anos. Em outros dias nós conseguimos olhar fora da nossa bolha, do nosso mundo e ver as pequenas amostras de felicidade que são espalhadas por aí. Cada um tem as suas. Tem dias que é fácil enxergar e valorizar. Já em outros… nem nos dizendo, apontando e desejando, nos custamos a agradecer e apreciar. Vamos tentar amanhã? Vamos. Aliás, devemos.

Às vezes, ou melhor, quase todos os dias, vivemos tanto, de tudo, todos e do mundo que só queremos parar um tempinho pra relembrar que a vida nem sempre é fácil, mas vale a pena ser quem somos. Ainda que seja essa coisa confusa e aparentemente sem sentido.

Sempre valerá a pena sermos fiéis a nós mesmos.

AdoCão, Pedaços+Momentos

> Nosso Porto Seguro

20/03/2017

É engraçado… Parece que quanto mais corrida a vida está aqui em casa, mais tempo tentamos arranjar para ficar perto deles.

Acordo, abro a porta do quarto e sentados estão dois rabinhos felizes me esperando. O despertador na maioria dos dias não toca, mas eles parecem adivinhar a hora que vou levantar. Me acompanham pela escada até a cafeteira. Abro a porta para eles saírem feito doidos no quintal. Sento no escritório e no chão, está um ou outro, ou os dois. Depende. Eles se revezam ou querem mesmo é ficar perto um do outro.

Entre a hora de aquecer o almoço, estamos com eles. Abraça um, abraça o outro e troca. Rimos de uma brincadeira, trejeito, preguiça, mania, acerola nas patas e brigamos para esperarem fora enquanto passamos uma vassoura para tirar os pêlos do chão da sala. Começa a esfriar um pouco e já é motivo para deitarmos o sábado no sofá, fazer alguma receita com abóbora e a desculpa para uma taça de vinho sem motivos especiais.

 

Especial é uma palavra complicada, pois ligamos sua definição automaticamente com algo extraordinário, mas a rotina, nem sempre é. Ou melhor. Viver é extraordinário. Isso implica diretamente em dias em que seguimos o fluxo do que precisa ser feito. São dias assim que pensamos o quanto somos abençoados por chegar em casa e ter um cantinho para esticar as pernas, um chuveiro quentinho e alguma história do trabalho ou de um amigo pra contar. Cada dia é um dia em que precisamos agradecer por viver. Esse é a melhor razão para brindar de segunda a domingo.

Grande parte disso é culpa deles, é claro, Lucy e Ringo. Responsáveis por nos mostrar que não precisamos de muito, não devemos nos importar tanto, não temos que ter tudo sempre perfeito e impecável, quando o que mais importa é saber que temos onde aliviar a vida e aquecer o coração. Um colo de mãe, conversa com pai, café com um amigo, dividir um sofá com 4 na casa. Um porto seguro: dentro e fora de nós.

Inspirações

> Persistência é o segredo

14/03/2017

“Como começar a correr”, já pesquisei isso no google, é uma das perguntas que mais recebo e já foi um post aqui do blog também.

É tão difícil. Comecei sem achar que ia conseguir e, se me perguntarem, até hoje, não falo que corro. Comecei devagar, com dificuldade para respirar, sem aguentar o peso do próprio corpo, mas eu queria. Não sabia o porquê, mas queria.

A gente pensa e se pergunta muito em como começar, mas o certo seria “como continuar a correr”. A corrida pede equilíbrio, insistência e persistência. Vai cansar e não vai dar barato nenhum na primeira semana. Você continua achando que todo o pessoal que corre, diz que ama e levanta as 5 da manhã no domingo é doido. Ainda não é possível de entender como alguém curte aquilo. Correr ainda é um desconforto, mas você conseguiu ir 3x na semana. Parabéns!

Na segunda semana o corpo parece que pesa ainda mais. As pernas então nem se falam, estão duras e contraídas. Você resolve tentar mais uma vez. Apesar do corpo se acostumando com o esforço, você consegue suportá-lo um pouco melhor e já é muito motivador. Terceira semana e você já pegou gosto pela coisa e isso não significa que não será difícil. Mas, já está naquele estágio em que você planeja ir mais longe, ou mais rápido ou sem as pernas doerem tanto. São dias em que você não pensa em furar o dia da corrida, a respiração flui melhor, ainda não é confortável e, então, a força aparece.

A corrida pedirá equilíbrio para você se enxergar e ouvir o seu corpo. A hora de descansar, alimentar, cuidar, diminuir ou acelerar. Depois é necessário insistir mesmo com alguns incômodos e que ainda não seja confortável encontrar o ritmo e a coordenação. Persistir dependerá do quanto se deseja.

Eu diria que correr por 1 ou 2 meses, 3x na semana sem furos e com os devidos descansos, já é transformador. Você sente melhoras nítidas no seu corpo e durante o dia. Me tornei um pessoa muito mais tranquila para as decisões do dia a dia depois que comecei a correr. Demorei 1 mês para me viciar, Pode ser que demore mais ou menos, depende de cada um, como em tudo na vida. Pode ser que você não goste mesmo de correr, acontece. 1 mês depois que comecei a correr eu já revirava minha agenda para não deixar de ir. Pensava em voltar correndo de um compromisso ou outro, ir mais cedo, ir mais tarde, ir no dia seguinte. Correr me fez desacelerar a rotina e respeitar a velocidade de cada fase da vida que há em cada dia. Correr é sobre isso: persistir. Apenas isso.

A corrida é um esporte individual. A força de vontade e a disciplina também. Entretanto ter um amigo para conversar, ainda que ele não te acompanhe é muito motivador.

Se você começou a correr a pouco tempo e gostou das primeiras sensações, eu digo: Persista. Parar e desacelerar pode ser preciso, mas não desista!

Depois é coisa de tempo, você provavelmente já se viciou um pouco no bem-estar, no estilo de vida, em competir com você mesmo e já se desdobra para tirar 30 minutos para sair por aí. Vicia? Vicia. Depois não diga que eu não avisei…

Playlist

> Playlist: Para Cantar com os Amigos

13/03/2017

Fazia tempo que não rolava uma playlist por aqui, né? Antes tarde do que nunca, uma coisa que a gente ama e quem nos segue no instagram devem perceber é juntar os amigos aqui em casa. Nada como um rolê econômico, com música, cantoria, gente linda e falando besteira com comes e bebes. Sempre quando fazemos, no final da noite – ou início do dia – me considero sortuda. Afinal, tem coisa melhor do que uma roda de violão?

Se tem algo que a gente ama é ficar jogado no quintal e em casa com quem a gente gosta <3

Separei algumas músicas que não podem faltar em nossos acústicos no quintal com os amigos.

Qual música você canta como se não houvesse amanhã por aí? Conta aqui pra gente!

Não segue a gente no spotify? Estamos como nanossavida ou clique aqui!

Na cozinha, RECEITINHAS

> Nosso prato em potinhos

07/03/2017

Muita gente pergunta como funciona a questão de preparar todos os dias as refeições aqui em casa. De modo geral, no café da manhã é meio que cada um por sí. Acordo bem antes do Fabinho e ele depois faz o lanche dele. Eu não vario muito de um pãozinho com alguma coisa, panqueca ou cereal integral e uma fruta, então é mais simples e rápido. No jantar, comemos alguns restos do almoço com mais uma coisa e outra nova ou fazemos um sanduíche reforçado. O almoço é a única refeição em que “paramos” de fato para fazer. Mais ou menos também, pois buscamos deixar tudo ao máximo já agilizado. Por isso, resolvi dar um foco maior nesta refeição neste post. 🙂

Aqui seguimos a lógica e a orientação de que o almoço precisa ter:

  • X de Carboidrato
  • X de Proteína vegetal ou animal
  • Leguminosas
  • Legumes e verduras a vontade
  • 1 porção de fruta (de preferência as cítricas)

O famoso arroz e feijão nós fazemos e congelamos nestes potinhos. O que sobrar comemos a noite ou completa o almoço do dia seguinte. As leguminosas como grão de bico, ervilha, milho, cozinhamos e colocamos em porções. Principalmente porque elas são uma parte importante para a proteína vegetal. Algumas vezes opto por fazer hambúrgueres ou bolinhos para já ficar mais certa a porção (pra mim, no caso). Legumes e verduras nós lavamos, cortamos e colocamos em potes na geladeira como alface, beterraba, tomate, abobrinha, cenoura.


Na hora de cozinhar descongelamos o arroz e feijão ou lentilha e montamos uma salada com legumes e verduras já cortados. Descongelamos os grãos ou a porção de hambúrguer/bolinho/torta/bláblá “vegetal” e pronto! Em algumas refeições o máximo que faço é cozinhar 2 ovos, fazer uma omelete ou refogar legumes ou cogumelos. Fabinho no caso faz a porção de carne que quiser ou come “o que eu como”.


Suco? também congelamos. Costumo bater couve com beterraba e um pouco de água e já deixar em cubinhos de gelo. Misturo com outra fruta que tiver na casa como maçã, abacaxi, limão ou laranja.

  • Considerações-“O arroz fica igual fresco?” Não, mas não fica tão diferente assim. E eu não teria tempo para parar todo dia para fazer então, sim, congelar é a melhor opção pra nós.
    – Alguns legumes e verduras como brócolis ou couve-flor que cozinhamos, também congelamos em porções. O que fazemos é sempre variar um ou outro. Isso vale para o arroz que ás vezes é integral, 7 grãos, quinoa, trigo de kibe e assim vai.
    – No caso dos vegetais também, sempre tento comprar quinzenalmente coisas diferentes para provarmos. O mesmo com o feijão que nem sempre é o carioca, mas o preto, branco, lentilha, etc. Cada quinzena fazemos um pouco de uma opção nova e congelamos. Assim é possível sempre variar. Mas, sinceramente? tem gente que come “arroz branco+feijão+bife+batata frita” a vida toda e não enjoa. É uma questão de escolhas e equilíbrio de cada um.

Espero que o post tenha dado ideias por aí <3

CRÔNICAS, VIDA

> Você está bem?

06/03/2017

Pergunto porque quero saber mesmo.

Sinceramente, eu não lembrava a última vez que me perguntaram isso querendo saber realmente como eu me sentia.

A vida é uma corrida e agora não falo do ato de correr, mas dessa mania de que parecemos sempre estar com algo para fazer, pensar, como agir, dizer e prosseguir. Todos sem excessão vivem boa parte do dia assim: trabalho, sonhos, alimentação, relacionamento, amizades, família, saúde, isso não é ruim. Mas, convenhamos que é uma infinidade de pautas para resolver e, sim, elas não tem fim.

A verdade é que entra ano e sai ano e nós sabemos pouco das pessoas. Queremos saber o que elas fazem e no que temos em comum, não conhecer QUEM elas são. Afinal, a essência de cada um demanda tempo.

Perguntamos o dia todo qual aplicativo, qual o sapato, batom, tênis, loja, viagem, o lugar, como é isso, aquilo… Mas não paramos para perguntar se alguém ESTÁ bem. Como essa pessoa realmente se sente, como está indo o dia, a vida e os planos. Será que realmente estamos interessados em algo além do que nos convém?  É duro de pensar e admitir.

Dia desses surgiu o momento em que alguém me perguntou se eu estava bem. Disse rápido e rasteiro que sim. A mesma pessoa refez a pergunta “Tá, mas você está bem?”. Foi quando percebi: ela realmente queria dividir o peso do meu dia. Alguém que tinha os seus compromissos, sua vida, afazeres, problemas e, ainda assim, queria jogar papo fora. Queria ouvir eu reclamar dos pêlos que nunca acabam, da quantidade de dúvidas, dos medos e da alegria de ter acertado um bolo naquela semana. Eu falava e a pessoa sorria – ouvir e enxergar o próximo traz a sensação de que não estamos só no mundo. O verdadeiro ato de ser humano.

“Você está bem” não é educação, mas um convite para quem deseja ouvir de outro mundo, não exatamente os segredos, mas aquilo que se têm a dizer e sentir.

Da vida, só levamos as experiências e o que cativamos. É preciso sentir e aprender mais com o ao redor. Independente da velocidade da vida o freio e o acelerador está dentro de nós. Acelere quando precisar, mas freie sem culpa quando sentir que deve. Tudo bem? Espero de coração que sim.

Faço & refaço, VÍDEOS

> Como fazer Produtos de Limpeza Caseiros

03/03/2017

Todo mundo sabe como eu sou tia doida da limpeza, né? Pois bem. A verdade é a cada dia que passa, pagamos caro por produtos de limpeza e, que nem sempre, são tão eficientes quanto acreditamos. Além de alguns componentes e ingredientes dos industrializados causarem reações alérgicas para algumas pessoas, grávidas e também para os bichinhos. Por isso, os produtos de limpeza caseiros além de úteis, não são prejudiciais e dão uma balanceada no consumo para aliviar a barra do meio ambiente. A maioria das bases de produtos caseiros de limpeza tem o vinagre branco, que age diretamente para matar germes, tirar manchas e gorduras. E também o famoso bicarbonato de sódio, que mata bactérias e dissolve manchas e odores fortes.

Com produtos de limpeza caseiros, a limpeza do dia a dia pode ficar menos agressiva para a nossa saúde, a natureza e com custo baixo. Em todas as receitas, você precisará de uma jarra com borrifador ou uma vasilha comum para misturar. Em lojas de utilidades e 1,99 você achará. Uma dica importante é não fazer litros deste produto. Por não ter conservantes, sua ação tem validade.

RECEITA 1: LIMPA VIDROS
250ml de água com 100ml de vinagre branco. Esta mistura é perfeita para limpar vidros e espelhos sem deixar aquele embaçado de produto. Para quem não curtir o cheiro de vinagre, apesar dele se dissipar rapidamente, coloque duas gotinhas de essência da sua preferência.

RECEITA 2: DESENGORDURANTE
É gente, a hora de limpar o fogão e locais engordurados pode ser triste. Mas, aqui pelo menos você gasta menos e não precisará fazer uma força absurda. Basta misturar uma parte de detergente com uma parte de vinagre branco. Uso 2 colheres de sopa para cada um. A quantidade dá certinha para uma limpeza e sobra para a torneira e pia 😛

RECEITA 3: LIMPADOR MULTIUSO
Esta, sem dúvidas, é a melhor receita. Perfeita para limpar bancadas, pisos frios, azulejos, geladeiras, microondas e tudo mais. Misture na jarra 250 ml de água, 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio, 1 colher de sopa de vinagre branco e meio limão. Não se assuste quando colocar o bicarbonato, é normal ele ferver em contato com o vinagre.

Você pode ver o passo a passo como de como fazer produtos de limpeza caseiros em vídeo também! Dá o play 🙂

E é isso 🙂 Uma casa limpinha, fresca, agredindo menos o meio ambiente e com ingredientes que você já deve ter em casa.