No meu prato por um dia

> Por que procurei uma nutricionista? – 1 MÊS

01/12/2016
"O que a corrida mudou na sua vida?" Uma mente tranquila foi o maior presente que ganhei. A corrida não resolveu nenhum dos meus problemas, mas me ensinou que tudo tem seu tempo de: acelerar, continuar, parar ou ir devagar. O prazer de sentar por puro cansaço depois de gastar todas minhas reservas. Aliás, de não contar com ter reservas. Saber que vou dar um pau nos meus filhos nas brincadeiras deles e quando meu coração estiver velinho irá se sentir mais agradecido. Respiro leve, não lembro a última gripe que peguei, ganhei resistência e a pressão baixa e hipoglicemia não dão mais ruim nem no verão. A lista é grande. Ganhei calos, alguns queimados e dores, mas a satisfação de calçar o tênis velho, ainda que meio sem domínio, sem baixar tempo ou aumentar distância, só crescem. Sozinha, olhando para o nada e só vendo o mundo passar diante de mim, a vontade de me sentir viva, à flor da pele, nunca fez tanto sentido. Que a gente faça as pazes com o tempo e com nós mesmo, para ir em direção do que faz bem a alma, seja o que for: vá. ✨ #runIsarun

Desde que comentei que estávamos com um acompanhamento deu ma nutricionista, recebi muitas mensagens. Quando assunto é alimentação muitas perguntas começam a surgir. Realmente, eu já sabia que deveria ter procurado há um tempo, ou melhor, desde que começamos a correr para CORRER. No começo eu brincava que corria para viver, mas hoje, a paixão virou amor.

Meu pensamento é assim: se está INSEGURO da forma que está fazendo, procure um especialista ou um profissional para socorrer. Foi o que fiz. No início, como meu objetivo era apenas ter uma vida mais leve, eu não senti muita necessidade nas corridas curtas. Me alimentava de forma balanceada e pronto. Acredito que toda pessoa que pense em correr longas distâncias, como uma meia maratona, deva ter em mente um acompanhamento nutricional – além de ir ao médico, avaliações e tudo mais. Depois da meia maratona eu ainda me sentia um pouco fraca, gostaria de ter terminado me sentindo mais resistente. Porém segui com os fortalecimentos, afinal eu fiquei bons anos sem fazer nada, já sabia que não seria algo do dia pra noite.

Quando decidi partir para uma maratona, comecei a me sentir muito insegura. Afinal, não é brincadeira. Sabia que de nada iria adiantar procurar um plano alimentar na internet. Cada corpo é um corpo. Comentei com Fabinho e ele concordou totalmente com a ideia. Atualmente o “ramo” da nutrição hoje em dia possui muitas vertentes. Vale lembrar que, como em tudo na vida, é fundamental escolher alguém com as mesmas visões que você. Alguém que você acredite e confie. Pois bem. Entrei em contato com a Poly, que é nutricionista oncológica e esportiva e, amiga da minha família que foi minha professora de ballet quando eu era pequena. Sempre adorei a maneira equilibrada, calma, sensata e muito detalhada das suas explicações. Marquei uma consulta e estava muito ansiosa positivamente. Eu finalmente iria ter alguém para pensar por mim as quantidades necessárias para o meu corpo naquele momento.

Eu sabia que comíamos bem em termos de qualidade o que estava errado eram as quantidades e a distribuição durante o dia. Hoje, eu tenho 6 refeições e o Fabinho 7. Comemos o dia todo! No começo estranhei muito, achava que iria engordar – com sinceridade. Depois aprendi que ficar mais de 3 horas sem comer, quem iria pagar era o meu músculo; Que todo carboidrato precisa ter uma quantidade de fibra para ser bem absorvido; Que pela imensa variedade de produtos que temos hoje, por exemplo, de cookies, um não é igual ao outro. É preciso ler os rótulos nutricionais e escolher o melhor. RESUMO: Em uma consulta eu fiquei empolgadona e bem feliz. Consegui sanar muitas dúvidas e me animei sabendo que eu poderia melhorar minha performance na corrida e que estávamos cuidando mais da nossa vida.

Processed with VSCO with b1 preset

Confesso que meu objetivo nunca foi prioritariamente estético. Tenho coisas que não gosto em mim, claro. Mas, eu queria correr bem. Foi isso que escrevi no questionário que dizia “Qual seu objetivo?”, eu gostaria de saber as quantidades necessárias para me alimentar e recuperar bem de principalmente corridas longas. Hoje, me alimento mais consciente, algumas coisas em mais quantidade e meu corpo enxugou muito em 1 mês (me desculpem o antes e depois que são sempre embaraçosos mas, muita gente notou diferença no meu corpo em fotos).  Aos poucos conto cada detalhe e novidades nos diários de corrida. 🙂

Por que procurei uma nutricionista? Muitos me perguntaram.

Pelo alívio de me sentir bem informada. Hoje me sinto confiante. Claro que tudo isso é relativo e é um caminho que trilhamos na vida, mas me sinto bem segura e vendo resultado em cada corrida e na vida. Sinto que alimento meu corpo com o que ele está precisando agora. Sem exageros, neuras e respeitando o tempo das coisas. Recomendo procurarem um profissional de nutrição? SIM. Infelizmente a gente só vai atrás disso quando “precisa”, mas agora vejo como é algo que desejo continuar para a vida da nossa família. Claro que em uma frequência menor, mas todos deveríamos nos conhecer mais por dentro – literalmente. Independente do objetivo. Sempre acreditei que alimentação era tudo na vida, hoje sei que isso é 100% verdade. Tudo faz parte de um todo. Aos poucos, vamos cuidando de tudo em partes.

Para quem interessar: contato da Poliane. E instagram.

Inspirações

> Para se inspirar na cozinha!

29/11/2016
cozinhapra2

Uma coisa que eu AMO, vocês sabem e, muitos aqui também amam 😛 é: COZINHA. Tudo que envolve o tema desde o preparo, escolha, montagem e a delícia que é comer bem. Resolvi separar alguns blogs de culinária e canais que sempre acompanho por aí. Se quero alguma receita, estes são os primeiros lugares em que procuro 🙂 é garantia de sucesso!

Vamos começar pelo cozinha para Cozinha para dois que já está ai no comecinho do post.

1936381_1143477305697364_6614054616927912503_n

Canal super fofo e com receitas muito práticas para fazer. Recomendo naqueles dias em que bate a preguiça, dá um soninho, você está sem vontade ou não tem lá muitos ingredientes em casa. Você vai encontrar algo delícia para fazer olhando lá 😉 A Carol é um escândalo de criatividade!

Cozinha da Bachcozinhabach

Esse é um dos meus canais preferidos. Adoro a maneira como ela explica cada detalhe e as informações nutricionais de cada prato. Dicas super úteis e funcionais para o dia a dia, mega sem frescura. Além do sotaque super fofs 🙂

Panelaterapiapanelaterapia

Como eu AMO gente que descomplica a vida! Aqui vocês encontram receitas bem tradicionais e de família até algumas mais lights. Adoro a variedade e a frequência dos posts! Dá para se perder com tanta coisa delícia.

Fotografando à mesafotografando-amesa

Putz, gente! Pensa em um casal criativo que cozinham e tiram imagens assim, INCRÍVEIS do preparo de cada receita? Pois é. Confesso, ás vezes entro só para me apaixonar por um macarrão, um bolinho caseiro. E até já chorei, sim – confesso. As trilhas e a fotografia são demais. Além de terem muuuuitas receitas sem carne pra galerê que procura pelo tema 🙂 ENJOY cada vídeo, pois tem coisa nova TODOS OS DIAS. Isa e Felipe, vocês são guerreiros.

Comidinhas da Dianacomidinhasdiana

Não me perguntem como cai do instagram da Fernanda e da Diana, sua filha. Sei que desde então, não sai mais. Apesar de né, não termos babys, eu AMO a maneira como ela aborda a alimentação para família, oferece dicas super práticas para o dia a dia, gente como a gente e saudável. Me inspiro muito em cada dica e post que ela faz. Sempre quando bate um desânimo, penso: “Pela amor de deus, imagina a Fernanda que tem filha” HAHA.

Espero que este pessoal inspire vocês como me ajudam muito no dia a dia – e nem sabem ou imaginam o quanto 🙂

Ô beleza!

> T-shirts são amor!

28/11/2016
img_2111-3

Se tem algo que eu amo é praticidade. Quantos posts aqui do blog eu já comecei assim? Muitos, ainda mais os de “moda” e looks que monto e compartilho com vocês. Se tem um item que é obrigatório no meu armário são t-shirts, camisetas básicas e/ou com estampas fáceis de combinar e variar.

img_2124-10 img_2125-11img_2109-2
img_2135-14img_2126-12
Neste ponto, faço parte do time das mais básicas. Camisetas mais neutras, justamente para variar com um jeans rasgado, calça com cor ou kimonos e cardigans vibrantes. O que de fato, funciona pra mim é praticidade + conforto. A versatilidade de combinar peças sem precisar de muito e me sentir sempre a vontade. Independente da ocasião.

img_2142-16As t-shirts são peças chaves. Quem não ama um look jeans+camiseta? Além de ficar bacana com diferentes modelos de sapatos, temos a liberdade de usar com shorts, calça, saia destroyed, cintura alta, lisos, manchados e assim vai. Amo a proposta de dobrar a barra das mangas, colocar dentro da calça, usar com vestido ou super largão. Tudo vale, só soltar a imaginação!

Eu adoro! Ainda mais para viajar. Assim é possível fazer várias combinações sem precisar lotar a mala e, ainda contar a segurança daquela peça que vai te cair bem, mesmo naqueles dias em que não acordamos muito afim de pensar em algo pra vestir.

img_2116-7

Recebi estas duas camisetas pretas da Rezzato e esta branca bem larga da coleção das amadas do Tudo Orna.

Espero que curtam as ideias! Eu amo/sou. 🙂

Na cozinha, No meu prato por um dia

> No meu prato por um dia: Três macacos na nossa casa

22/11/2016
img_1902-9

Sempre perguntam o que a gente come por aqui diariamente. CLARO que esse é um assunto longo, pois não fazemos sempre a mesma coisa e vou postando aqui e no canal como a coisa anda. MÃS sempre tem aquele momento em que viciamos nisso, naquilo e, se tem uma coisa que não pode faltar por aqui, além de café é: BANANA. Rica em vários tipos de carboidrato, potássio e tantos outros benefícios, ela é de rápida absorção, ou seja, ótima para comer antes de correr. Além do que, eu adoro, mas não chego aos pés do Barba e do menino Ringo que é um Sr. viciado e sempre pega umas rodelinhas. FOFO.

  • Café da manhã: Panqueca de aveia com banana. Postei essa receita lá no instagram na hashtag #ReceitasNNV! É uma delícia e super nutritiva.

img_1900-8

  • Almoço é sempre aquele momento de pegar o que for mais simples e fácil. Mas, nem por isso será menos nutritivo. Alguns legumes já estavam cortados como abobrinha, cenoura e edamame, mandamos um risoto falsiane com açafrão (porque o arroz era integral e normal) + grão de bico cozido temperadinho com limão + abacaxi de sobremesa – que também já deixamos cortadinhos.

img_1887-1 img_1888-2 img_1890-3

  • Lanche antes da corrida: uma banana

img_1891-4

  • Lanche da tarde: pão integral + geleia de amora sem açúcar e queijo branco. AH! antes que perguntem, o negócio boiando no café com leite é canela, amo! Parece capuccino, haha

img_1953-10

  • Jantar: SEMPRE que faz 17 graus ou menos que isso, eu corro para fazer esse creme de abóbora. Na verdade, não tem nada demais, mas é um abraço. Refogo cebola e alho no azeite. Coloco a abóbora. Já deixo várias porções congeladas tanto para outras receitas, como para este creme. Coloco temperos variados como páprica, manjericão e sal. Quando estiverem macias, passo o mixer para deixar lisinho o creme e coloco uma colher de requeijão, creme de ricota ou pico queijo branco por cima. Os snacks de rap10 são uma delícia. Só cortar e colocar na frigideira até dourar.

img_1955-11

img_1956-12

E foi assim 🙂 mais um dia aqui. O segredo da coisa é sempre ter legumes congelados ou reaproveitar restolhos do outro dia. Já adianta bastante as outras refeições. Se tem algo que me deixa feliz e aliviada é comer bem <3

CRÔNICAS, VIDA

> O que esperam e querem que você seja, não é problema teu

21/11/2016
Processed with VSCO

Não me importo de usar sempre a mesma rasteirinha e não ligo que meu namorado só fica sem camisa. Não me importo se meu look do dia, não é sempre um look do dia. Eu agradeço por poder escolher o que vestir, pode ser um moletom ou vestido longo: os registro com a mesma alegria.

Não me importo se meu cabelo não me obedece, se a unha do dedão sempre lasca primeiro. Não me importo em não fazer tudo com perfeição. Se consegui dar o meu melhor, tudo bem. Não me importo de demorar mais que o “normal” para terminar algum projeto e de não saber todas as respostas. Como a gente se engana – ninguém sabe.

Não me importo quando a cara está amassada, inchada e se ela resolve ficar de boa, tá de boa. Não me importo com os dias chuvosos, não estar feliz todos os dias, usar a mesma camiseta cinza repetidas vezes e de demorar mais que o normal para conseguir explicar um raciocínio simples. Faz parte.. do que eu sou. Não me importo e não aviso se estou sem ou com algo no rosto, pois não vejo só isso em alguém. Eu vejo o que as pessoas têm a dizer e a me ensinar. Se isso está fora de moda? Espero que algum dia volte.

Não me importo de não saber tudo sobre todos os assuntos, não ser das mais sábias e de ter vergonha quando acabo de conhecer alguém. Não me importo se gaguejo em público, se invento palavras, sinto medo de ousar ou se errei a mão no blush. Não me importo se o que esperam de mim seja a perfeição ou qualquer outra coisa que seja diferente do que o que carrego no furacão ou na maré mansa dentro de mim. Com tanto que as pessoas sejam de verdade, eu não ligo. Eu espero que continuem assim. O que esperam e querem que você seja, não é problema teu.

Um dia, quem sabe, acordaremos em um mundo que se importe com o que verdadeiramente importa. Em ser humano.

Ah, isso, eu me importo.

Não deixe passar a vida sem viver quem você é.

CRÔNICAS, VIDA

> A tal da felicidade

15/11/2016
Processed with VSCO with a5 preset

Todo mundo quer ser feliz. É óbvio. Quem não quer uma vida tranquila, mansa e serena? Todo mundo. Tão desejada quanto a felicidade é, entra disparado neste ranking, a busca incessante por ela. Revistas, jornais, portais, fotos, redes sociais, vão te dizer o que fazer. A gente lê e ri, outros levamos a sério 60%, alguns arriscamos testar, com outros damos uma chance, mas não contamos pra ninguém.

A verdade é que na busca para a felicidade não existe certo e não existe errado. Existe a busca interna de cada um – mas ela tem que ser interna.

Para alguns a felicidade está em um carro novo na garagem, para outros apenas um tapete que diz bom dia na porta já ajuda. Para uns é ter um pão com manteiga no café da manhã, para outros é alcançar uma carreira estável na empresa X. Aí, está a raiz do problema: Estes são nossos sonhos, a felicidade é outra coisa.

Independente dos sonhos e do que fazemos, existe a felicidade que a vida quer nos ensinar a enxergar. Tomei a liberdade de apelidá-la de felicidade mínima. Aquela que no dia-a-dia esbarramos e deixamos passar. A felicidade que passamos a vida inteira sem notar. É ela.

A felicidade sustentável.

O estado interior que não depende do clima, altos e baixos da vida, do seu humor ou do quê você quiser colocar aqui. Ela é silenciosa, como a paz que sentimos ao abrigar um bebê ou o sorriso calado ao ver quem amamos. A felicidade que é plena inclusive quando estamos tristes. Não por ter a resposta ou segurança de tudo, mas de acreditar que a única certeza que precisamos ter é que tudo irá se ajeitar: mesmo em meio a dor. Felicidade que sabe que não há problema em ter problema. Sabe esperar, sabe se sentir bem e vivo na vida que tem.

A felicidade é uma questão de observar: A vida, ao nosso redor, o mundo e outro alguém.

A felicidade mínima é esta que fica escondida por entre o dia a dia e na rotina corrida. É o sustento para uma vida em paz. Assim como respiramos involuntariamente a cada segundo, sempre há tempo de a encontrar. A felicidade genuína: Sem peso, sem pressa e sem manual de instruções.

Apenas um passo de cada vez e involuntariamente, agradecemos a vida, por viver.

Ô beleza!

> Jeans mom: A calça da vida

14/11/2016
copia-de-img_7022-12

Eu AMO calça de cintura alta. Acho que isso é bem claro né? de 6 calças minhas: 3 são assim e 2 são da Não vivo sem. Amo a modelagem, o tecido e como ela tem aquele ar cheio de estilo sem perder o nosso amado e prioritário conforto. Agora, vamos ao novo amor: Jeans mom.

img_7012-5

img_7020-10img_7027-15
Este é um modelo super clássico e famoso, apelidado de “jeans mom“, mais folgado e com pouco stresh, sendo assim, mais estruturado no corpo. Ele ressalta a cintura e valoriza a curva do quadril. Adoro os modelos lisos, porém este destroyed é demais. Eu diria que é a peça mais coringa de todas para se ter no guarda roupa! Vai bem com qualquer sapato, ocasião e com qualquer blusinha e casaco. Camiseta de banda, bata, cropped, regata, camiseta básica, social, enfim. Não importa o seu estilo!

img_7023-13img_7010-4

Olha, serei obrigada a dizer e usar o trocadilho na sincera: não vivo sem esse jeans mom mais não.

| Calça e moletom unicórnio: Não vivo sem |Tênis: Fiever |